Marcelo Ramos garante que Parque Linear do Mindu será grande marco para Manaus

By -

mr-reserva-adolpho-ducke

O candidato a prefeito Marcelo Ramos, da coligação Mudança para Transformar, anunciou como prioridade na sua gestão, caso eleito, concluir o Parque Linear do Mindu, projeto que vai unir paisagismo, sustentabilidade, meio ambiente e mobilidade urbana em um percurso de 17 quilômetros ao longo das margens do maior igarapé de Manaus.

 “O atual prefeito, mesmo com os recursos em caixa, foi incapaz de concluir o projeto. Mas, na nossa Prefeitura, vamos acelerar as obras e entregar o quanto antes, essa que será um novo marco na mobilidade urbana de Manaus”, garante Marcelo Ramos.

 A obra vai ser a primeira via com traçado diagonal em Manaus, ligando as zonas Norte e Centro-Sul. O Parque Linear do Mindu vai unir conservação ambiental a opções de mobilidade não poluentes, como, por exemplo, transporte feito por meio de bicicletas, fazendo a cidade acelerar sem agredir a natureza.

 A proposta de Marcelo Ramos vai unir também acessibilidade e saúde, formando uma imensa via verde. Serão mais de 17 de quilômetros de ciclovia, pista para pedestres, áreas de lazer com tratamento paisagístico e total acesso.

 “Essa é uma obra importante que já poderia ter sido entregue pelo atual prefeito. Os recursos na ordem de R$ 310 milhões estão disponíveis desde 2007, mas por incompetência, a atual administração deixará, de fato, um rastro de abandono e desrespeito para com a população e com o meio ambiente”, critica Marcelo Ramos.

 A obra do Parque Linear do Mindu tem seu início no Jorge Teixeira, Zona Leste, chegando ao Parque dos Bilhares, na Zona Centro-Sul. A partir desse trecho, segundo a proposta de Marcelo Ramos, haverá bicicletários e pontos para que as pessoas possam pegar seus ônibus e acessar a outros lugares da cidade.

 “O Parque Linear do Mindu vai plantar a semente da conservação nas crianças das escolas municipais que estão no trajeto do igarapé. Nessas escolas, criaremos pequenos laboratórios para coleta e avaliação permanente da qualidade de água”, explica Marcelo Ramos.

Mario Dantas