Marcelo Ramos diz que não vai permitir fechamento de unidades de saúde

By -

MIC_9282

“Nenhuma unidade de saúde será fechada. Se o Governo do Estado precisar fechar, a Prefeitura vai assumir a responsabilidade”. A declaração é de Marcelo Ramos, candidato a prefeito de Manaus pela coligação “Mudança para Transformar”, ao falar sobre o plano do Governo do Amazonas de desativar unidades de saúde.

 Marcelo cita como exemplo o caso do município do Rio de Janeiro, onde a Prefeitura socorreu o Governo e evitou que hospitais estaduais fossem fechados, ao repassar recursos ao Estado. “Quando o governador do Rio, Francisco Dorneles, anunciou que iria fechar unidades de saúde, o prefeito Eduardo Paes não ficou batendo boca com o governador. Ele foi lá e assumiu a responsabilidade, destinando R$ 100 milhões para a saúde estadual e não deixou que o pior acontecesse”, exemplificou.

 O candidato disse que seja quem for o governador ou o presidente, ele, se eleito prefeito, vai trabalhar em parceria para reforçar o orçamento e a estrutura da Prefeitura em todas as áreas. “Nossa prioridade é retomar o projeto Saúde da Família para garantir o atendimento preventivo e alcançarmos a meta do Ministério da Saúde que é de cobrir 70% da população. Hoje, Manaus atende apenas 33%, o que é inaceitável”, disse.

 Marcelo Ramos sustenta que, ao resgatar o programa Saúde da Família, a Prefeitura vai contribuir diretamente para desafogar os leitos nas unidades de média e alta complexidade. “Se você for agora ao Pronto Socorro 28 de Agosto, vai ver vários leitos ocupados por doentes que tem doenças crônicas e agudizadas porque não receberam o tratamento preventivo e nem o acompanhamento adequado do seu quadro de saúde. Não recebeu a medicação correta. Com o Saúde em Minha Casa, isso vai mudar porque o acompanhamento será sistemático com as visitas nas casas das pessoas”,  garante.

Mario Dantas