Mantida prisão de investigados por morte de menina, em Autazes

By -
Tio, madrasta e pai  estão presos acusados pela morte da menor Graziely por asfixia

Tio, madrasta e pai estão presos acusados pela morte da menor Graziely por asfixia

A pedido dos delegados Eleandro Granja e Fernanda Granja, titular e adjunta da 39ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Autazes, respectivamente, a Justiça prorrogou por mais 30 dias a prisão dos três investigados por envolvimento no homicídio de Grazielly dos Santos Costa, 9, morta por asfixia.

Gilmara França de Souza, 32, Gilbervan de Jesus Eloi, 33, e Gilbermilson de Jesus Eloi, 35, são respectivamente madrasta, pai e tio da criança. O mandado de prisão temporária foi expedido pelo juiz de Direito Glen Hudson Paulain Machado, no dia 16 de julho de 2015.

Segundo o delegado Eleandro Granja, o pai planejou a morte da filha para não pagar mais pensão alimentícia

Segundo o delegado Eleandro Granja, o pai planejou a morte da filha para não pagar mais pensão alimentícia

De acordo com novas informações repassadas pelo delegado, uma das 32 testemunhas ouvidas até o momento declarou que recebeu proposta de Gilbervan de Jesus Eloi, pai de Grazielly, para procurar por um assassino para matar a criança em troca de R$ 200, mas recusou o pedido.

“Conforme o depoimento dessa testemunha, Gilbervan desejava matar a própria filha desde o início de 2008, para não ter que pagar pensão alimentícia. Ele já teria repassado a essa pessoa informações sobre o endereço da vítima e os horários de chegada e saída dos familiares da criança”, relatou Eleandro Granja.

autazes-investigados-morte-menina-2O titular da 39ª DIP disse ainda que está à procura de uma testemunha citada no inquérito, que seria ex-namorada de Gilbervan. “O pai de Grazielly teria pedido a essa mulher que levasse lanche envenenado para a menina na escola, mas ela se negou a fazer”, afirmou o delegado.

O corpo da menina foi encontrado no Ramal do Tumbira no dia 19 de junho, em estado de decomposição. Ela desapareceu em 17 de junho quando retornava da escola, entre 12h30 e 13h. A Polícia Civil deverá concluir as investigações nos próximos dias e indiciar os três investigados. “Já temos indícios suficientes”, finalizou Eleandro.

Roberto Brasil