Manaus sedia conferência internacional sobre Malária

By -

A capital amazonense vai sediar, a partir deste domingo (11) até quarta-feira (14), a “6ª Conferência Internacional sobre Pesquisa de Plasmodium vivax”. Essa é a primeira vez que o evento é realizado no Brasil. Durante quatro dias, mais de 400 cientistas de 33 países estarão debatendo os desafios e estratégias para o controle e eliminação do Plasmodium vivax, parasita transmissor do tipo mais incidente de Malária no mundo. Na Conferência serão apresentados os resultados da pesquisa com a Tafenoquina, novo medicamento contra Malária, que reduz o tempo de tratamento do paciente, de sete para apenas um dia.

No domingo, a Conferência inicia com uma série de cursos que ocorrerão de 9h às 18h, no Wyndham Garden Hotel, na Ponta Negra (na mesma área do Tropical Hotel Manaus). A solenidade de abertura oficial do evento será às 19h30, no Tropical Hotel (Área do Centro de Convenções – Salão Rio Solimões). De segunda a quarta-feira, as apresentações dos resultados de estudos e pesquisas ocorrerão na Área de Convenções do Tropical Hotel, de 9h às 19h30.

A apresentação dos resultados da pesquisa com a nova droga para o tratamento da Malária será na segunda-feira, de 11h30 às 13h30. O estudo com a nova droga foi coordenado pelas empresas Medicines for Malaria Venture (MMV) e Glaxo Smith Kline (GSK), e financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates. A pesquisa envolveu a participação de centros de estudos de cinco países – Brasil, Indonésia, Tanzânia, Peru e Tailândia. No Brasil, o projeto contou com a colaboração da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), de Manaus, e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), de Porto Velho.

Em Manaus, os testes foram realizados com a participação de 100 pacientes. O estudo foi desenvolvido no período de 2014 a 2016. O diretor de Ensino e Pesquisa da FMT-HVD e membro do comitê organizador da Conferência, em Manaus, Marcus Lacerda, explica que, atualmente, o tratamento da Malária é feito com a terapia combinada de dois antimaláricos (cloroquina e a primaquina). “O novo medicamento vai substituir a primaquina e passa a ser administrado em dose única”, detalha o pesquisador. A expectativa, segundo ele, é de que, em breve, a Tefenoquina seja incorporada pelo Ministério da Saúde no tratamento contra a Malária, na rede pública.

Durante a Conferência, os pesquisadores vão discutir os desafios para que seja alcançada a meta estabelecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para eliminação da doença, em pelo menos 35 países, até 2030. Outros temas que estarão em pauta são: o acesso ao tratamento, a epidemiologia e vigilância, o mapeamento e novas intervenções em transmissão, imunidade e o desenvolvimento de vacinas.

Os pesquisadores que participarão da Conferência terão a oportunidade, no domingo pela manhã, de conhecer as instalações e os trabalhos realizados na FMT-HVD, que é referência, no país e internacionalmente, em pesquisa e nas áreas de diagnóstico e tratamento de doenças infectoparasitárias e tropicais, como a Malária.

A diretora presidente da FMT-HVD, médica infectologista Graça Alecrim, ressalta a importância do evento para o avanço das pesquisas sobre a Malária e para o estabelecimento de novas estratégicas para o combate à doença. “Ser sede de um evento desse porte fortalece ainda mais o caráter estratégico que a FMT assumiu nas últimas décadas, no cenário da pesquisa internacional”, destacou.

O trabalho de pesquisa e assistência aos pacientes com Malária, na FMT, segundo ela, tem se destacado, especialmente, na contribuição para inserção de novos métodos terapêuticos, no âmbito do sistema único de saúde. “A fundação tem atuado fortemente junto ao Ministério da Saúde, prestando assessorias técnicas na terapêutica e para controle da Malária no país”, afirmou.

Roberto Brasil