Manaus ganha sistema de bicicletas compartilhadas

By -

Sucesso em diversas cidades do mundo, o sistema de bicicletas compartilhadas também chegou a Manaus nesta quarta-feira, 12/4. Tendo como cenário o histórico Mercado Municipal Adolpho Lisboa, no centro da capital, o projeto – regionalmente batizado de Manôbike – foi lançado pelo prefeito em exercício Marcos Rotta. Junto com o sistema, a capital ganhou, ainda, uma ciclorrota de 14,5 quilômetros de extensão.

“Esse projeto era um desejo antigo do prefeito Arthur Virgílio Neto e que agora pôde se tornar real graças a parceria com os grupos de ciclistas. Antes mesmo de lançarmos o Manôbike, iniciamos uma campanha de respeito no trânsito, principalmente aos ciclistas e aos pedestres”, destacou Rotta, que recebeu um prêmio simbólico pela iniciativa das mãos dos parceiros do projeto: a Samba Transportes Sustentáveis e Hapvida.

Ainda segundo o prefeito, além da questão da mobilidade e do incentivo a meios não poluentes e que visam à melhoria na qualidade de vida dos cidadãos, o sistema de bicicletas compartilhadas também favorece a política de fortalecimento ao turismo.

“Quanto mais boas práticas e bons projetos nós realizarmos para valorizar o Centro Histórico de Manaus, mais atrativo tornaremos essa área não somente para os manauaras, mas também para os turistas. Manaus precisa sempre despertar a curiosidade das pessoas para que conheçam o nosso potencial turístico”, reforçou o prefeito em exercício.

Os 14,5 quilômetros de ciclorrotas receberam sinalização horizontal e vertical, num grande quadrilátero no Centro, para garantir maior segurança aos usuários do trânsito, especialmente aos ciclistas. Vale destacar que as ciclorrotas indicam a presença e a preferência da bicicleta. Essa alternativa tem sido uma solução adotada por várias cidades para projetos de ciclomobilidade, sendo um modelo mais simples, fácil de implantar e com pouco impacto viário. Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Aracaju, Vitória, Curitiba e, agora, Manaus, possuem ciclorrotas.

“Esse é o começo de um novo modelo, onde o importante é promover o respeito mútuo entre os usuários do trânsito. O uso da bicicleta vem como alternativa sustentável de mobilidade, além de favorecer a prática de atividade física, de lazer e, consequentemente, de mais qualidade de vida. Futuramente, queremos ampliar o uso do Manôbike e das ciclorrotas para outras áreas da capital”, afirmou o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb).

A operação do sistema será feita pela Samba Transportes Sustentáveis, do Grupo Serttel, com patrocínio da Hapvida. A empresa assinou Termo de Cooperação com a prefeitura, após sair vencedora do edital de Chamamento Público lançado pelo Implurb. O compartilhamento viário é assegurado pelo Código Brasileiro de Trânsito (CBT), que orienta ainda que a preferência é do menor modal para o maior – pedestres, ciclistas, carros, caminhões, ônibus e outros.

Estações e pontos

São 11 estações em operação, que estão localizadas em lugares emblemáticos da capital, tais como o próprio “mercadão”, a centenária avenida Eduardo Ribeiro, a Igreja N.S. dos Remédios, a Praça do Congresso, a Beneficente Portuguesa e outros.

O sistema funcionará de segunda-feira a domingo, das 6h às 23h, para retirada do equipamento, e 24h para devolução. Manaus terá 110 bikes disponíveis para as 11 estações, mas a rede poderá ser ampliada futuramente, conforme demanda. O Termo de Cooperação tem prazo de 36 meses e não há ônus para o Município.

“Outra informação interessante é que as estações do Manôbike funcionam com energia renovável, sendo alimentadas pela luz solar. As bicicletas são 100% nacionais e interligadas via sistema de comunicação sem fio, redes 3G e 4G, permitindo que estejam conectadas 24 horas por dia com a nossa central”, disse Eduardo Ferraz, gerente da Serttel.

“É um ciclo de investimento que atrai o turismo, ajuda na mobilidade urbana e ainda promove a prevenção na saúde, porque a prática da pedalada pode prevenir o aparecimento de doenças como diabetes e hipertensão. Sem dúvida, Manaus só tem a ganhar com essa iniciativa”, completou a superintende regional da Hapvida, Tarita Guilhon.

Como funciona?

Após cadastro no aplicativo e/ou no site (www.manobike.com.br), o usuário terá a opção de adquirir o passe mensal (R$ 10) ou diário (R$ 5) e não paga valor adicional desde que use de acordo com as regras do projeto. De segunda a sábado, o uso pode ser de 60 minutos ininterruptos, quantas vezes por dia o usuário desejar, desde que respeite o intervalo de 15 minutos entre as viagens. Aos domingos e feriados, o uso passa a ser de 90 minutos.

Campanha

Antes da inauguração do Manôbike, a Prefeitura, em parceria com diversos grupos de pedais, lançou, em fevereiro, a campanha publicitária “No Trânsito eu Compartilho Respeito”, ampliando a sensibilização de motoristas em relação aos ciclistas, que podem e devem compartilhar a mesma via.

Roberto Brasil