Manaus ganha o primeiro centro de atendimento para dependentes químicos e alcoólicos

By -
O espaço terá capacidade de atendimento de 25 pacientes por turno

O espaço terá capacidade de atendimento de 25 pacientes por turno

Dependentes químicos e alcoólicos agora contam com atendimento 24 horas pela Prefeitura de Manaus, no novo Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) Dr. Afrânio Soares, inaugurado nesta quinta-feira, 15, na Avenida Efighênio Sales, Conjunto Jardim Espanha III, Adrianópolis, zona Centro-Sul da capital.

O espaço terá capacidade de atendimento de 25 pacientes por turno, tendo como limite máximo 45 pacientes por dia. Para a hospitalidade noturna, serão disponibilizados seis leitos femininos e dez leitos masculinos. Lembrando que no CAPS AD são atendidas pessoas que buscam ajuda, já que o tratamento é aberto, isto é, não há internação, ou qualquer outro procedimento contra a vontade do usuário.

caps-inauguracao-1“Os servidores da Saúde especializados no tratamento mental dizem que essa é uma das melhores unidades de tratamento de álcool e drogas do País, o que torna ainda mais justa a homenagem ao doutor Afrânio Soares, que foi secretário municipal de Saúde, brilhante pediatra e homem de bem que fez muito pelo nosso Estado e para nossas crianças”, destacou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

O CAPS AD visa promover assistência qualificada aos portadores de transtornos relacionados ao uso de substâncias químicas, em um ambiente inclusivo e acolhedor. “Serão realizados atendimentos individual, em grupos, domiciliares e à família, a oferta de medicamento assistida e dispensada, oficinas terapêuticas, práticas corporais e expressivas, atenção a situações de crise e atividades comunitárias enfocando a integração do dependente químico na comunidade e sua inserção familiar e social, além de atendimento de desintoxicação”, salientou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão.

caps-inauguracao-4O serviço funcionará 24 horas, todos os dias, inclusive nos finais de semana e feriados. O atendimento ao púbico externo somente se dará no horário comercial (8h às 18h), de segunda a sexta-feira. Caso haja necessidade, o serviço dispõe de hospitalidade noturna ou leitos de desintoxicação, porém a permanência de um mesmo paciente no acolhimento noturno fica limitada a 14 dias, num período de 30 dias.

Homero ressaltou que o CAPS AD III não é um serviço de urgência e emergência. “Os casos que demandem esse tipo de atenção ou assistência hospitalar têm que ser em serviços de pronto-atendimento e hospitais”, informou Homero.

caps-inauguracao-3O CAPS AD destina-se ao atendimento de adultos, maiores de 18 anos, de ambos os sexos, com abuso/dependência de álcool e outras drogas, bem como com morbidades associadas. “Trata-se de um serviço de portas abertas, tanto para a entrada quanto para a permanência, definida a partir do acolhimento. Sendo assim, não há necessidade de encaminhamento para acessar o serviço”, explicou a gerente da Rede de Atenção Psicossocial da Semsa, a psicóloga Efithimia Haidos. 

Como funciona – O usuário chegando ao CAPS será acolhido e passará pela triagem com a equipe multiprofissional. Após esta avaliação inicial, cada caso deverá ser discutido em equipe para que se defina se o tratamento necessário condiz ou não com o que o CAPS oferece. Em caso afirmativo, a equipe, em conjunto com o usuário, construirá um Projeto Terapêutico Singular (PTS) que conterá, dentre outras informações, a situação da pessoa (quadro clínico, situação socioeconômica, etc), os objetivos terapêuticos, as propostas de intervenção e a avaliação de resultados.

caps-inauguracao-5O PTS é um contrato entre o usuário e a equipe do CAPS AD que se insere dentro de duas etapas, chamadas de Planos de Atendimento I e II. O Plano I – Acolhimento e Primeiros Cuidados em Saúde Mental – visa o acolhimento individual e em grupo, o alívio dos sintomas e o desenvolvimento de estratégias terapêuticas que ofereçam o suporte necessário para o processo de restabelecimento da saúde mental a partir das condições pessoais de cada usuário. O Plano II – Reabilitação Psicossocial – visa a (re)construção da vida psicossocial do usuário através de atividades que envolvam a comunidade. A ênfase maior será na manutenção da saúde mental dos usuários através da busca da autonomia, do relacionamento interpessoal, da reinserção social, familiar e do trabalho.

CAPS – A Prefeitura de Manaus já possui dois CAPS. Um na zona Sul, que atende pessoas maiores de 18 anos, com história de internação psiquiátrica, psicoses, esquizofrenia e outros sofrimentos psíquicos graves e crônicos, como depressão grave, ansiedade crônica, transtorno bipolar e de humor, e o CAPSi, na zona Leste, que é direcionado para o atendimento de crianças e adolescentes com transtornos.

Ainda este mês, a prefeitura pretende inaugurar mais um CAPS na zona Centro-Sul, que também funcionará como tipo III, de segunda a segunda, durante 24 horas por dia, na rua Perimetral II, 1.916, Parque 10, quase em frente ao CSU.

Roberto Brasil