Manaus é a cidade mais populosa das regiões Norte e Sul do Brasil

By -

A população da capital amazonense aumenta em mais de 30 mil pessoas a cada ano

Com 2.130.264 habitantes, Manaus ocupa o sétimo lugar no ranking das cidades mais populosas do país. O dado é das Estimativas da População, divulgadas nesta quarta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos.

São Paulo lidera o ranking das capitais com 12.106.920 pessoas, seguida pelo Rio de Janeiro com 6.520.266. A capital do Amazonas é a mais populosa das regiões Norte e Sul do país e tem uma taxa de crescimento anual de 1,71%, o que significa crescimento de 35.873 pessoas a mais por ano.

É como se a cada ano a cidade recebesse a população inteira de Eirunepé (34.888). O crescimento de Manaus é fruto, principalmente, do crescimento vegetativo, uma vez que a cada ano mais pessoas nascem do que morrem, fazendo com que a cidade tenha um crescimento natural positivo.

Entre as regiões metropolitanas, a população dessa área de Manaus, composta por 13 municípios, está em 11º lugar com 2.612.747 habitantes, o que equivalente a 1,3% da população do país.

A Região Norte possui apenas duas regiões metropolitanas: Manaus e Belém, essa última formada por sete municípios, com população de 2.441.761 habitantes.

Municípios

Entre os municípios amazonenses, além de Manaus ser a líder em número de população, outras cidades do interior com maior número de habitantes são Parintins (113.832), Itacoatiara (99.854), Manacapuru (96.460), Coari (84.762) e Tabatinga (63.635). Já aquelas que apresentam as menores populações são Japurá (4.205), Itamarati (8.128), Itapiranga (9.125) e Silves (9.211).

As populações dos municípios foram estimadas por um procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos Estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. O método se baseia na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010).

EM TEMPO

Roberto Brasil