Mais Mulheres na Política recebe apoio de “prefeitura de mulheres”

By -
"Não queremos tomar o lugar dos homens, mas ter oportunidades iguais", defendeu Vanessa Grazziotin

“Não queremos tomar o lugar dos homens, mas ter oportunidades iguais”, defendeu Vanessa Grazziotin

Setenta por cento das secretarias da Prefeitura de Humaitá são comandadas por mulheres, um grande de exemplo da capacidade feminina e que costuma ser marginalizada. O relato foi feito pelo prefeito do município amazonense, Dedei Lobo, durante o lançamento da Campanha Mais Mulheres na Política, num claro exemplo de apoio às mulheres na busca pela ocupação dos espaços de poder na sociedade.

O lançamento da Campanha, que nesta segunda-feira (dia 26) chegou ao sétimo município do interior do Amazonas, além da Capital Manaus, foi na Câmara Municipal de Humaitá e contou com a participação de dezenas de líderes políticos e da sociedade civil organizada, como a primeira dama local, Arnaldina Chaves, o presidente da Câmara de Vereadores, Raimundo Santos, o Ray (PSC), além dos vereadores Joel Guerra (PSL),  Ita Lobo (PT), Regi Trindade (PSDB); o ex-prefeito de Humaitá Írio Guerra; e representantes do Exército que atua na região de Humaitá.

A procuradora da Mulher do Senado, senadora Vanessa Grazziotin, que tem levado a Campanha Mais Mulheres na Política Brasil a fora, destacou aos presentes que o objetivo do movimento é mobilizar a sociedade e o Congresso Nacional para a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 98 (PEC 98), que visa garantir mais mulheres nas Câmaras de Vereadores, nas Assembleias Legislativas e na Câmara dos Deputados.

A PEC já foi aprovada no Senado e agora tramita na Câmara federal. “Não queremos tomar o lugar dos homens, mas ter oportunidades iguais. Apesar da legislação garantir o preenchimento de 30% das candidaturas, quando chegam as campanhas, os partidos dão aos homens mais espaço nos horário de rádio e TV e a maior parte dos recursos financeiros. Mulher também que legislar, ajudar a fazer as leis de nosso País, mas preciso de oportunidades verdadeiramente iguais”, defende Vanessa.

Roberto Brasil