Mais de seis toneladas de queijo são apreendidas no Porto do Ceasa

By -

Aproximadamente 6,6 toneladas de queijo, entre eles coalho, manteiga e muçarela, foram apreendidas na tarde desta quinta-feira (1°) no Porto da Ceasa, na Zona Sul de Manaus, durante uma ação da Polícia Rodoviária Federal e da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf).  A carga estava avaliada em R$ 95 mil, segundo o presidente da Associação dos Produtores Rurais do Feirão da Sepror, Antonivaldo de Sousa (Asprofe), 41.

A alegação da Adaf é que o produto não está de acordo com as normas de procedência estipuladas pelo Ministério da Agricultura e Pecuária que, entre outras exigências, preconiza o manuseio do leite para a confecção do queijo em local próprio e inspecionado pelos órgãos de vigilância sanitária.

O presidente da Asprofe informou que o queijo estava vindo dos municípios de Careiro da Várzea e Autazes, que se destacam na produção de laticínios no Estado, e seria distribuído para alguns produtores do mercado interno da capital e na Feira da Manaus Moderna.

Segundo os produtores, todos foram pegos de surpresa, já que é tradição o queijo desses municípios serem comercializado nas feiras e supermercados da capital, movimentando por semana mais de R$ 1 milhão só com a venda do tipo coalho.

“Os produtores alegaram que o queijo foi jogado todo no chão. Eles deram uma notificação e levaram 3 carros e um caminhão onde os queijos estavam sendo transportados”, disse Antonivaldo, acrescentando que todo o produto apreendido é de aproximadamente 20 criadouros.

“Já estamos há muito tempo pedindo a legalização de pequenas indústrias de queijo no Estado. Isso não está acontecendo, não passam um padrão para os criadouros seguirem, então não podem fazer isso. Não há no Estado queijo nenhum legalizado. Ou a gente senta para legalizar ou assim fica difícil. Vamos pedir para o pecuarista vim até Manaus discutir o setor. Uma crise dessa e fazem isso. O setor não tem incentivo”, complementou.

Durante a apreensão, alguns produtores donos do queijo embargado, registraram o produto que ficou na barreira da PRF.

(Do Portal A Crítica)

Roberto Brasil