Luz Para Todos em aldeias indígenas

By -

luz-para-todos-indigenasDa Redação – Lideranças indígenas da região do Rio Purus, no interior amazonense, estiveram reunidos com a coordenação nacional do Programa Nacional de Universalização Energética e com a coordenação nacional do Programa Luz Para Todos em Brasília, onde se discutiu melhores formas de atendimento às aldeias daquela região do maior estado da Federação.

O cacique Raimundo Mura e Jeovana Apurinan mantiveram um cordial encontro com o coordenador nacional do Luz Para Todos, Aurélio Pavão, e a coordenadora para o atendimento em áreas indígenas, Maria Eustaquia, no Ministério de Minas e Energia.

O objetivo do encontro foi levar até o coordenador nacional as reinvidicações dos povos indígenas da região do rio Purus, pois existem inúmeras atividades que necessitam de receber energia elétrica confiável, e assim não comprometer o sucesso das atividades.”Contamos com o apoio do coordenador estadual Robson de Bastos, que sempre nos atendeu no que foi da alçada dele e como pretendemos avançar nos programas sócio-econômicos resolvemos comunicar também a coordenação nacional”, disse o líder Mura.

Jeovana Apurinan procurou mostrar aos presentes a necessidades que os povos indígenas do Purus tem em receber os benefícios do programa Luz Para Todos. “O atendimento aos indígenas e quilombolas é uma prioridade do governo federal é só aplicarem o que diz o Manual de Atendimento. Estamos lutando por nossos direitos e temOs no coordenador estadual, o engenheiro Robson de Bastos, um parceiro que nunca colocou obstáculos para atender as reinvidicacoes indígenas, precisamos da implantação do programa para melhorar a vida nas nossas aldeias”, falou a Apurinan Jeovana.

O coordenador nacional do Luz Para Todos, Aurélio Pavão, ouviu e anotou as reinvidicações dos indígenas, ressaltando que a coordenação estadual já tem conhecimento das demandas das referidas lideranças indígenas e que dentro das possibilidade possíveis ocorrerá o atendimento. “Existe um planejamento de obras ja definido, pois a necessidade no atendimento é uma constante. Irei entrar em contato com o coordenador estadual do Amazonas, o Robson de Bastos, e iremos estudar qual melhor forma de atendimento”, disse Pavão.

Segundo estudos preliminares, somente na região do Rio Purus existe mais de sessenta comunidades indígenas sem energia elétrica. (Kennedy Lyra)

Roberto Brasil