Luiz Castro repete o melhor desempenho no debate eleitoral

By -

Dominando os grandes temas do Amazonas e respondendo com firmeza os questionamentos dos adversários, o candidato a governador Luiz Castro reafirmou o seu perfil de gestor público eficiente, com atuação política coerente, marcando a sua participação no debate da TV Amazonas na quinta feira (03), com o melhor desempenho dentre os concorrentes, que disputam a eleição suplementar do próximo 6 de agosto.

Luiz Castro propôs o redirecionamento da gestão estadual, para romper com o círculo vicioso dos velhos políticos associados a grupos empresariais que dominam o Estado há 34 anos. “A Rede e o Psol propõem um governo inovador, priorizando a eficiência no serviço público de Saúde, de Educação, de Segurança, revisando os contratos superfaturados e combatendo a corrupção”, afirmou, acrescentando que Rede e Psol são os únicos partidos que não estão envolvidos nos escândalos investigados pela Lava Jato.

As propostas da coligação, de acordo com o candidato, estão dentro da realidade orçamentária do Estado e do curto período de gestão, para serem executadas de forma emergencial, especialmente na geração de emprego e renda, com a atração de investimentos do Governo Federal e de instituições internacionais para fomentar novos empreendimentos na área de ciência e tecnologia, usando de forma sustentável os recursos da biodiversidade da região.

Na área de educação, Luiz Castro defendeu o fortalecimento da UEA como estratégico para o desenvolvimento do Amazonas, identificando o potencial econômico dos municípios para a formação adequada dos estudantes do interior do Estado, associada à criação de emprego. “É de minha autoria a emenda que garantiu a autonomia financeira e administrativa da UEA”, arrematou o candidato.

O Amazonas é muito rico para ter o seu povo tão pobre

O combate à corrupção e ao desperdício de dinheiro público, segundo Castro, são fundamentais na sua proposta para um novo governo, visando a aplicação correta dos recursos nas políticas públicas de interesses da população amazonense. Para isso, ele defende a revisão dos atuais contratos superfaturados do Estado.

O candidato citou como exemplo a anulação do contrato da Umanizzare com o Estado, que atualmente paga R$ 5,1% mil por preso, o gasto mais alto do sistema prisional da América Latina. Só com o complexo Anisio Jobim, o contrato é de R$ 215 milhões. “Também vamos revisar os contratos da Saúde e comprar medicamentos e equipamentos direto das fábricas, pagando preço mais baixo, sem a figura do atravessador”, defendeu Castro.

Ele apontou também os erros do Governo com o projeto da Cidade Universitária, que consumiu dinheiro público e há vários anos a obra se encontra abandonada. “É o exemplo do desperdício de dinheiro e da falta de capacidade de gestão, que precisam ser combatidos”, ressaltou.

Ao final do debate, Luiz Castro reafirmou o compromisso com um governo inovado para atender com eficiência o cidadão hoje sofre com a violência, com as deficiências na Saúde, na educação e com o desemprego. “Eu e o João Tayah temos a capacidade, a competência e a independência necessária para fazer um governo diferente. É possível fazer sem roubar. O Amazonas é muito rico para ter o seu povo tão pobre”, argumentou.

Roberto Brasil