Luiz Castro recebe homenagem por sua atuação no combate à tuberculose

By -

Luiz Castro recebeu como homenagem um trófeu

O deputado Luiz Castro (Rede) participou nesta sexta-feira (17) da solenidade de comemoração dos 10 anos de atuação do Comitê de Controle da Tuberculose no Estado do Amazonas, realizada no auditório Canoas, da Fiocruz Amazônia. Na ocasião, o parlamentar também foi homenageado com um troféu em reconhecimento ao trabalho que realiza no enfrentamento à tuberculose.

O evento reuniu médicos e representantes da Susam, da Policlínica Cardoso Fontes, da FVS, da Semsa e da Semed, além  de ativistas sociais da área de saúde pública, que tem entre suas lideranças o senhor Euclides José de Souza Neto, coordenador do Comitê de Controle da Tuberculose no Estado do Amazonas e da Associação Katiró.

Na abertura do evento, o deputado Luiz Castro destacou a relevante atuação do Comitê na luta contra a tuberculose no Estado, que lamentavelmente registra a maior taxa de incidência da doença no País. O parlamentar cobrou maior emprenho do Estado e do Município para conter o avanço da tuberculose entre as populações carentes do Amazonas.

“As autoridades aqui presentes, que representam o Poder Público, precisam fortalecer a parceria com o Comitê, para conhecer as reais necessidades das pessoas que se dedicam a essa causa tão importante para a melhoria da saúde no Estado”, cobrou o parlamentar.

A médica pneumologista Joyce Matsuda, fez a entrega do troféu ao deputado Luiz Castro, que preside a Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento e Defesa dos Direitos da Pessoa com IST/HIV/AIDS e Tuberculose (frendhat).

Amazonas lidera com casos de tuberculose

Em 2016, o Amazonas registrou 67,2 casos de tuberculose a cada 100 mil habitantes, o que representa mais do que o dobro da média nacional, que foi de 32,4 casos para o mesmo grupo. Esses dados colocam o Estado pelo quarto ano seguido, em primeiro lugar no ranking das unidades estaduais com a s maiores taxas de tuberculose no Brasil.

Os dados do Ministério da Saúde, divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), apontam que até o primeiro semestre de 2017, foram registrados 1.108 casos novos, 70 a menos em relação ao mesmo período do ano passado.

Pessoas que apresentem tosse por mais de três semanas devem procurar um médico. Dentre os sintomas, a tubérculos provoca a falta de apetite, febre, perda de peso, sensação de fraqueza e suor noturno. O tratamento é feito gratuitamente na rede pública de saúde.

Roberto Brasil