Luiz Castro destaca a importância da acessibilidade no planejamento urbano

By -
img-20160915-wa0015
O planejamento urbano é indispensável para garantir a mobilidade e o acesso dos cidadãos aos espaços públicos, principalmente numa cidade como Manaus, que cresceu de forma desordenada. A opinião é do candidato a prefeito, Luiz Castro (REDE/PMN), que assumiu compromisso junto ao Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Amazonas (CAU/AM), por uma cidade ambiental e socialmente equilibrada, com qualidade de vida para os manauaras.
Durante a assinatura da carta aberta intitulada “Qual a cidade que precisamos?”, no Salão Solimões do Hotel Intercity, Luiz Castro ressaltou a importância da acessibilidade no planejamento da área urbana. “Quando você não permite às pessoas o direito de ir e vir, você nega a própria história da cidade, que deve ser um espaço de liberdade”, enfatizou.
No seu programa de governo para Manaus, Luiz Castro  propõe a revisão do Plano Diretor, de forma técnica e com a participação da sociedade. O governo municipal, segundo ele, precisa priorizar o bem comum,  e voltar as suas ações para o coletivo, e não para o individual.
Luiz Castro propõe  uma cidade inteligente e sustentável que priorize as pessoas, entendendo que o lugar onde se vive é coletivo e precisa ser cuidado e pensado dessa forma. “Hoje, a saída para o inchaço das cidades  que cresceram desordenadamente é aproveitar melhor os espaços públicos, tornando-os mais atrativos”, analisa.
Diante dos inúmeros problemas de descaso com o meio ambiente, com o trânsito, com o transporte público deficiente e com o déficit de moradia popular em Manaus, Luiz Castro defende um conjunto de ações planejadas, integradas e com metas a serem alcançadas, na área de mobilidade urbana. “Precisamos dar o ponta pé inicial, ou a situação ficará mais difícil”, alertou.
Compromisso
Na carta assinada Por Luiz Castro, o CAU-AM indica três fundamentos a serem seguidos na gestão municipal: governança metropolitana, planejamento urbano e monitoramento de metas. O documento representa cerca de 140 mil arquitetos e urbanistas do Brasil, reunindo propostas para atender aos direitos e necessidades dos cidadãos à cidade.
Entre os pontos em destaque, os arquitetos apontam a disponibilização de informações de maneira transparente na gestão do município, a prioridade nos empreendimentos habitacionais para a população de baixa renda, a inclusão social de todas as classes sociais e a priorização do pedestre, criando condições para que as pessoas utilizem as ruas e sintam-se seguras.

Mario Dantas