Luiz Castro critica impasse na Prefeitura de Coari

By -
Dep. Luiz Castro

Dep. Luiz Castro

A demora do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em publicar a decisão que cassou o mandato do prefeito de Coari, Adail Pinheiro e de seu vice Igson Monteiro, foi criticada ontem (10) pelo deputado Luiz Castro, por agravar ainda mais o impasse na definição de um novo gestor para assumir a Prefeitura do município.

O pedido de cassação foi julgado em 17 de dezembro de 2014, mas o acórdão ainda não foi publicado no Diário de Justiça. Enquanto isso, segundo Castro, a crise político-administrativa se aprofunda, com a dilapidação dos cofres da Prefeitura, ao ponto de a população se revoltar e promover quebra-quebra nas ruas de Coari.
Por outro lado, o parlamentar disse que o Governo do Estado também já deveria ter tomado providências para nomear um interventor com idoneidade e competência para levantar os problemas financeiros e econômicos do município e repassar o cargo ao segundo colocado na eleição de 2012, Raimundo Magalhães, tão logo seja publicado o acórdão.
Luiz Castro  lembrou ainda que entrou com novo pedido de intervenção no Ministério Público Estadual (MPE) apontado nepotismo na Prefeitura, irregularidades em obras e desvio de recursos da educação, mas até o momento não houve uma resposta.
 “O município de Coari é campeão em improbidade administrativa e está impedido de realizar convênio por desaprovação de suas contas”, destacou o deputado. Ele  ressalvou, no entanto, que há esperança com a condução de Raimundo Magalhães ao cargo de prefeito, por decisão do TSE que cassou o registro de Adail.
Mas alertou para a possibilidade de que Câmara Municipal promova eleição de um prefeito interino do mesmo grupo político de Adail Pinheiro. Por isso, reforçou a necessidade de intervenção no município até a posse de Raimundo Magalhães.
Mario Dantas