Júri de Beira-Mar terá 200 agentes de segurança

By -
Fernandinho é acusado de ter liderado uma guerra de facções dentro do presídio de segurança máxima Bangu I, em 2002

Fernandinho é acusado de ter liderado uma guerra de facções dentro do presídio de segurança máxima Bangu I, em 2002

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, volta nesta quarta-feira a julgamento, no Fórum do Rio de Janeiro, acusado de ter liderado uma guerra de facções dentro do presídio de segurança máxima Bangu I, em 2002. O julgamento está previsto para começar às 13h, no 1º Tribunal do Júri. O traficante chegará ao tribunal sob a guarda de 200 agentes das polícias Federal e Militar e do Depen (Departamento Penitenciário Nacional).

Beira-Mar, que chefia a facção criminosa denominada Comando Vermelho, responderá pela acusação de homicídio qualificado em razão das mortes dos seguintes integrantes da facção criminosa ADA (Amigos dos Amigos): Ernaldo Pinto Medeiros, o Uê; Marcelo Lucas da Silva, o Café; Wanderley Soares, o Orelha; e Carlos Alberto da Costa, o Robertinho do Adeus.

Em 11 de setembro de 2002, Beira-Mar liderou uma guerra de facções dentro do presídio. Dez testemunhas foram arroladas pelo Ministério Público e pela defesa para falar sobre esse levante, inclusive o traficante Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém.

O esquema de segurança que está sendo montado para o julgamento do traficante envolve também os serviços de inteligência das polícias Federal e Militar: integrantes desses serviços estão monitorando pontos estratégicos da cidade, principalmente nas imediações do Fórum, localizado no Centro do Rio.

Segundo informações da polícia, o traficante chegará no final da manhã em avião da Polícia Federal para o novo julgamento e, do aeroporto, seguirá de helicóptero para o Fórum da cidade. AGÊNCIA BRASIL

Roberto Brasil