Josué Neto coloca Aleam à disposição do Plano Emergencial de Controle às Queimadas e Incêndios

By -
Josué Neto participou do anúncio das medidas ao lado de Melo e do prefeito Artur Neto

Josué Neto participou do anúncio das medidas ao lado de Melo e do prefeito Artur Neto

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Josué Neto (PSD), declarou apoio às ações de prevenção e controle de queimadas e incêndios, anunciadas pelo governador José Melo (PROS) na manhã desta terça-feira (13), no Palácio do Governo (Compensa – Zona Oeste). Josué Neto participou do anúncio das medidas ao lado de Melo e do prefeito Arthur Neto (PSDB), além de prefeitos de outras 11 cidades afetadas pelo excesso de fumaça e pelos fenômenos climáticos da estação.

O governador decretou oficialmente situação de emergência em 12 municípios e apresentou o Plano Estratégico e as Ações Emergenciais de Prevenção e Controle às Queimadas e Incêndios Florestais. Por sua vez, Josué Neto declarou que a Assembleia Legislativa está encampando essa iniciativa – junto os todos os órgãos envolvidos – para contribuir com o que for necessário para que as medidas alcancem resultados eficazes. O parlamentar elogiou também o momento de união entre autoridades e lideranças de cada município com o governo estadual e com os demais Poderes constituídos. Para ele, essa aproximação entre prefeitos, governo, parlamentares e outras autoridades fortalece ainda mais o projeto das ações emergenciais.

O governador José Melo anunciou que deve gastar em torno de R$ 5 milhões com as ações de combate às queimadas e incêndios e não descartou a possibilidade de pedir suporte financeiro à União. O decreto de situação de emergência vai vigorar por 90 dias e envolve os municípios de Manaus, Autazes, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Novo Airão, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva.

A criação do Centro Integrado de Monitoramento Ambiental, formado pela Sema, Batalhão Ambiental, Bombeiros, Defesa Civil e as prefeituras municipais e a implantação da Sala de Situação de Controle e Monitoramento Ambiental, que funcionam na Sema, foram as principais medidas estratégicas de prevenção anunciadas.

Os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontam que a incidência de calor na Amazônia aumentou cerca de 80% em relação ao ano de 2014. No Amazonas esse número chega a 89% no mesmo período. Para os próximos meses as chuvas devem ocorrer abaixo do esperado, conforme divulgou o diretor do departamento de meteorologia do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), Ricardo Delarosa.

Roberto Brasil