José Ricardo qualifica de calamitosa a situação da saúde no Amazonas

By -

Dep. José Ricardo

Da Redação – Nesta quinta-feira (28), o deputado José Ricardo (PT), no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), qualificou de calamitosa a situação em que se encontra a saúde no estado do Amazonas e especialmente em Manaus onde milhões de pessoas esperam uma consulta ou realizar uma cirurgia. Como exemplo apresentou o caso do hospital de Borba onde falta tudo.

“A situação da saúde esta calamitosa porque o governo fala que as filas diminuíram, mas o Ministério Público já constatou que tem mais de 50 mil pessoas tentando uma consulta. No Adriano Jorge tem duas mil pessoas aguardando cirurgias ortopédicas e temos uma lista enorme aguardando outras cirurgias. As empresas contratadas pelo estado no processo de terceirização reclamam que não estão recebendo, então tem que haver transparência. Tem muitos contratos e queremos saber mais detalhes. O certo é que não dá para deixar como está”, declarou o deputado petista.

O parlamentar verificou in loco as condições de transporte dos paciente em Borba

A comissão de saúde da Aleam se reúne hoje e deverá tratar o tema da transparência nos recursos gastos na saúde, segundo o parlamentar. “Iremos apresentar a necessidade de saber quais as obrigações das empresas terceirizadas e contratadas, saber se podem ser chamados os concursados e a Aleam saber do orçamento para poder fazer ajustes”, informa.

O líder do governo, deputado Sabá Reis (PR), disse que o Secretario de Saúde deve ser chamado a prestar um relatório da situação em que se encontra a saúde, especialmente no que se refere a diminuição das filas para atendimento.

Na delegacia, as condições são precárias e o contingente pequeno para uma área tão grande

Hospital e Delegacia sem condições de atendimento em Borba

O deputado José Ricardo esteve no último final de semana no municio de Borba verificando a situação da saúde. “Constatamos vários problemas principalmente no único hospital onde o pessoal relatou a falta equipamento para fazer exames, não contam com recursos humanos adequados nem estrutura para atender a população”, disse.

Na área de segurança, a situação é igual ou pior. A delegacia esta caindo aos pedaços, não conseguem nem fazer BO. Celas superlotadas. A PM falou de um contingente reduzido para uma área tão grande. “Estaremos encaminhando esta realidade para o Governo do Estado”, concluiu.

>>>Mercedes Guzmán

Roberto Brasil