José Melo esclarece ausência em debate na Band Amazonas

By -
José Melo declinou do convite por sentir desconforto em relação à postura do empresário Francisco Garcia, dono da emissora

José Melo declinou do convite por sentir desconforto em relação à postura do empresário Francisco Garcia, dono da emissora

O candidato à reeleição José Melo (Pros) afirmou nesta quinta-feira, dia 9 de outubro, que vai aos debates no segundo turno das eleições, mas que declinou do convite para participar do confronto promovido pela Band Amazonas por sentir desconforto em relação à postura do empresário Francisco Garcia, sócio da empresa e aliado de campanha do candidato Eduardo Braga. “Não fujo de debates. Apenas não fui a um debate, que é de uma emissora onde o sócio cotista é pai de uma candidata à vice-governadora do outro lado”, ressaltou. 

Melo lembrou que no debate promovido pela emissora no primeiro turno Garcia recepcionou os postulantes ao governo do Estado com o adesivo do candidato Eduardo Braga colado em seu peito. “No debate que nós tivemos, ele ostensivamente estava com o número do candidato no peito e, agora, foi nomeado o coordenador dessa campanha no interior do Estado. Eu não me senti confortável, mas não fujo a debates”, afirmou. 

O empresário Francisco Garcia é presidente do Partido Progressista (PP), que compõe a base de apoio a Braga, é pai da deputada federal Rebecca Garcia, candidata a vice-governadora, e foi nomeado esta semana o coordenador da campanha de Braga no interior. 

Melo reafirmou a importância dos debates para o esclarecimento do eleitor e fortalecimento do processo democrático e criticou a postura de candidatos que optam pela baixaria e troca de acusações no confronto televisivo ao invés de apresentar propostas.

“Eu gostaria de nesses debates discutir o futuro do Amazonas, os programas que são voltados para o futuro dos nossos filhos. Ficar discutindo o passado, ficar olhando pelo retrovisor, acho que não vai construir absolutamente nada. Se vierem fazer o que fizeram com o nosso governo, no primeiro turno, não vou ficar calado. Também vou abrir, vou falar e não será absolutamente importante para o povo que espera propostas”, disse.

Roberto Brasil