José Melo é homenageado no Centenário do IGHA

By -

“Muito me honra esta medalha, pois sou um homem simples, a quem foi negado o direito de me debruçar sobre os livros”, frisou José Melo

A comemoração dos 100 anos do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (IGHA) foi marcada pela homenagem feita ao governador do Amazonas, professor José Melo, que recebeu, na noite de sábado (25), a Medalha Comemorativa do Primeiro Centenário de fundação da entidade cultural. Na ocasião, José Melo anunciou o investimento de R$ 1,5 milhão para a melhoria da acessibilidade na sede do órgão, localizado na rua Bernardo Ramos, Centro, zona sul de Manaus.

“Quero agradecer de coração por esta homenagem. Muito me honra esta medalha, pois sou um homem simples, a quem foi negado o direito de me debruçar sobre os livros. Por isso, sei reconhecer bem o valor deste Instituto. Assim, anuncio que vamos investir este valor para a construção de um elevador no prédio para facilitar o acesso”, afirmou José Melo.

O governador também informou que, além  do investimento, o Governo do Amazonas também fará, como forma de incentivo e preservação da cultura, a digitalização de todo o acervo do IGHA, rico em estudos amazônicos de Geografia, História, Arqueologia, Sociologia, Antropologia Cultural, Linguística e Ciências. O trabalho será executado pela Secretaria de Estado da Cultura (SEC), por meio da Biblioteca Virtual do Estado.

A presidente do instituto, Marilene Corrêa, reforçou os critérios para o merecimento da medalha entregue ao governador. “O comprometimento e a contribuição para com a nossa causa intelectual os fez merecedores dessa homenagem tão especial que marca os 100 anos desta Casa”, afirmou.

Na ocasião, o presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Arno Wehling, também foi outorgado com a medalha. “É uma alegria muito grande poder participar de um momento tão importante para a história do Amazonas. Tive a oportunidade de participar de algumas cerimônias de centenário de outros institutos, o que mostra como estamos presentes e o quanto somos importantes para o conhecimento histórico de um modo geral e para a sociedade brasileira”, comentou.

IGHA – Fundado em 25 de março de 1917, o Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas (IGHA) é conhecido como “A Casa de Bernardo Ramos”, seu fundador e primeiro presidente. Além de promover seminários e palestras, o IGHA possui um museu próprio, com valiosas peças históricas e também uma coleção única de peças indígenas. Sua biblioteca e, principalmente, sua hemeroteca são pontos obrigatórios para estudantes e pesquisadores que desenvolvem trabalhos acadêmicos sobre a Amazônia.

O IGHA está aberto para visitação de segunda a sexta, das 8h às 12h. O visitante tem acesso às poltronas originais do Teatro Amazonas, confeccionadas em madeira e palinha-da-Índia,  levadas para exposição ainda durante os anos 70.

Roberto Brasil