Jogo festivo comemora primeira temporada do Projeto Gol de Letra

By -
Mais de 100 crianças e adolescentes frequentam as atividades do projeto na Compensa 2

Mais de 100 crianças e adolescentes frequentam as atividades do projeto na Compensa 2

Os idealizadores do projeto Gol de Letra, mantido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), realizou no Estádio Carlos Zamith, bairro Coroado, zona Leste de Manaus, jogo festivo que marcou a primeira temporada do projeto na capital. A entrada é gratuita.

O projeto contempla esportistas de 10 a 15 anos e, atualmente, é desenvolvido em cinco polos na cidade, com a meta de alcançar todas as zonas ainda este ano. “A proposta do nosso projeto Gol de Letra é direcionar e encaminhar essas crianças para que se tornem cidadãos de bem. Não garantimos que serão jogadores de futebol de sucesso, mas por meio do esporte formaremos pessoas de boa índole. Este ano, vamos expandir as atividades para três novos lugares de Manaus”, declarou o coordenador do Gol de Letra, o ex-jogador profissional Antônio Piola.

Lançado em novembro de 2014, atualmente o Gol de Letra beneficia 600 crianças e jovens de cinco áreas da cidade, sendo realizado nos polos esportivos dos bairros Compensa 2, São José 1, Crespo, Petrópolis e Manôa. As atividades são realizadas três vezes por semana: às segundas, quartas e sextas-feiras, nos horários das 9h às 11h e das 16h às 18h.

gol-de-letra-aniversario-02Para o secretário da Semjel, Elvys Damasceno, o projeto vem obtendo sucesso e resgatando crianças e adolescentes. “O Gol de Letra é um projeto com aceitação bastante positiva nas comunidades. Os pais estão satisfeitos pela iniciativa da Prefeitura de Manaus, que, por meio desta atividade, está retirando muitas crianças das ruas”, enfatizou.

Compensa – Mais de 100 crianças e adolescentes frequentam as atividades do projeto na Compensa 2. No bairro, as aulas acontecem no Centro Desportivo da Compensa (CDC), localizado na Rua Belo Horizonte. A professora Rosângela Ortiz, conhecida por abraçar causas esportivas voltadas para a comunidade, é a coordenadora do projeto no local.

“Tenho um campo esportivo em casa voltado para a comunidade. O bairro Compensa é conhecido como uma área perigosa. Então, conversamos com o professor Piola para trazer o projeto para cá. Os pais abraçaram a ideia”, contou.

Participando do projeto desde o início, Kelison Serrão, 13, joga como lateral direito e contou que sonha em jogar pelo seu clube de coração. “Sempre gostei de jogar bola. Meu sonho é um dia conseguir jogar pelo Flamengo, meu time de coração. Meus pais me apoiam e incentivam”, argumentou.

gol-de-letra-aniversario-03Uma das poucas meninas do projeto, Bruna Ortiz, 16, afirmou que gosta de futebol e das atividades físicas. “Jogo futebol há bastante tempo. Acompanhava minha mãe no trabalho dela e acabava participando dos treinos. É uma forma de driblar a ociosidade. Quero ser alguém na vida e sonho em fazer faculdade de Odontologia”, disse.

Matrícula – Os interessados em participar do projeto devem se dirigir a um dos centros esportivos nos bairros que recebem as atividades munidos do Registro Geral (RG) e comprovante de residência. De acordo com a coordenação, ao final de cada bimestre os boletins das crianças e adolescentes são verificados.

Roberto Brasil