Irregularidades nas veterinarias do interior

By -

adesivo-decorativo-automotivo-curso-medicina-veterinaria-17516-MLB20139692175_082014-F

Pós três anos sem visitar os municípios Careiros da Várzea, Careiros Castanho e Autazes, nos dias 11, 12 e 13 de novembro, a equipe de fiscalização do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas, CRMV-AM, voltou as cidades e constatou diversas irregularidades, como a falta de informação, sobre as atividades exercidas pelo médico veterinário, diversos estabelecimentos sem Responsável Técnico (RT), casas de materiais de construção comercializando irregularmente produtos e medicamentos de uso veterinário, além da carência de profissionais nos municípios.

Tiago Augusto, dono de pet shop no município de Autazes-AM, disse que tenta dar o melhor para o consumidor, para isso, agora pretende se regularizar, junto ao CRMV-AM, para se tornar um estabelecimento modelo, “peço atenção especial do CRMV-AM para concorrências desleais, andamos na lei e exigimos mais fiscalizações nesse sentido, porque já vi medicamentos e outros produtos do mercado pet, sendo comercializados em casas de materiais de construção”, afirmou Tiago.

Para o empresário Rogério Corrêa da Silva, ter um veterinário na loja traz confiança junto ao cliente, “é um setor muita importante, vem crescendo a cada dia, dá credibilidade, pra quem quer trabalhar de forma correta”, afirmou o empresário.

A Cooperativa dos Produtores de Leite  da Região de Autaz Mirim, (COOPLAM), localizada na comunidade Vila do Novo Céu, fornece seu produto para Autazes e outras cinco cidades: Manaus; Iranduba; Manacapuru, Itacoatiara e Nova Olinda, além de comunidades adjacentes. Marcio Mota, secretário geral da COOPLAM, disse que a cooperativa precisa da fiscalização do CRMV-AM, “nosso produto é leite, e os animais podem ter alguma doença e bactérias prejudiciais a saúde humana, nessa hora o médico veterinário é de suma importância, mas precisamos de mais campanhas educativas e conscientização, tem muita coisa irregular”, destacou o secretário.

Carlos Carneiro, presidente do CRMV-AM, disse que apesar dos municípios não serem fiscalizados há 3 anos, acredita que a sociedade esta sedenta de informações sobre a atividade veterinária dentro dos estabelecimentos, que manipulam e vendem produtos de origem animal, “muitos sabem da importância do médico veterinário, não apenas como um trabalhador do estabelecimento, mas sim como um agregador de valores, percebo o potencial da medicina veterinária e ao mesmo tempo a carência desse profissional para atender as necessidades dos municípios, em função disso, solicitarei a visita da cooperativa dos médicos veterinários (Unimev-AM), nessa região para ajudar aos colegas profissionais para atender as demandas”, afirmou Carneiro.

Segundo a assessoria de comunicação, as fiscalizações continuarão em todo Estado do Amazonas. Mais três municípios serão fiscalizados até dezembro de 2015. E quem quiser denunciar alguma irregularidade em estabelecimentos que comercializam produtos de origem animal, clínicas e consultórios clandestinos pode entrar em contato, através do disk denúncia do CRMV-AM: 98818-1384 e pelo site: www.crmv.am.gov.br

 

Mario Dantas