Ipês da Djalma Batista sofrem tentativa de envenenamento

By -

Seis ipês adultos que compõem a arborização da Avenida Djalma Batista, na altura do Vieiralves, foram alvo de suposta tentativa de envenenamento descoberta no sábado, 29, por técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). As árvores sofreram um corte no tronco e tiveram um líquido escuro, similar a um herbicida, aplicado na área. 

“Ainda não temos como confirmar o diagnóstico de envenenamento, mas tomaremos todas as medidas possíveis no sentido de identificar os responsáveis e aplicar as sanções cabíveis”, afirmou o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antônio Nelson de Oliveira Júnior. Ele adiantou que um boletim de ocorrência será registrado na Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema) para instauração de inquérito criminal sobre o caso. 

As árvores ficarão em observação.  A suspeita é de que a agressão tenha ocorrido durante a madrugada, de quinta para a sexta-feira, 28. “Com certeza se trata de uma ação com a finalidade de eliminar as árvores naquele trecho da avenida”,  explica o engenheiro florestal Lucas Ourique, diretor Técnico Operacional da Semmas. Segundo ele, o objetivo do corte no tronco é fazer com que o produto nocivo à planta atinja todo o sistema vascular das árvores e as elimine. “O primeiro sinal que chamou a atenção foi o ressecamento das folhas”, observou. Um caminhão-pipa foi até o local no começo da tarde do sábado e lavou os troncos na tentativa de retirar o excesso de produto, presente nos caules das árvores. 

Segundo os técnicos, não há como garantir a sobrevivência dos ipês. “Alguns, apesar do corte e da colocação do suposto produto venenoso, estão com as folhagens verdes, o que pode ser indicativo de que ainda podem sobreviver”, afirmou Ourique, que já começou a apuração do caso, solicitando as imagens das câmeras de vídeo instaladas na área.  Além de responder criminalmente, os responsáveis poderão ser enquadrados no artigo 137, do Código Ambiental do Município, que considera infração grave danificar, suprimir ou sacrificar árvores da arborização urbana, com multa agravada pelo dano causado. 

“As árvores atingidas são adultas e já se encontravam estabilizadas, inclusive com florescência garantida, mas infelizmente foram vítimas desse absurdo que poderá alterar esse ciclo”, afirmou. 

O diretor solicita o apoio da sociedade no sentido de denunciar os responsáveis pelo caso. “Se alguém souber ou tiver visto algum movimento suspeito, alguém em atitude suspeita naquele trecho do canteiro central, pedimos que ligue para a secretaria (0800-092-2000 ou 3236-6684) e nos informe”, afirmou. A perda das árvores causará um desequilíbrio irreparável na paisagem. “Pedimos que as pessoas fiquem  atentas e denunciem gestos como esse”, apelou Ourique. 

O plantio dos ipês no canteiro central da Avenida Djalma Batista foi realizado em 2012. No total, 315 mudas foram plantadas em toda a extensão da via e desde então todas as ações de manutenção, incluindo adubação complementar, irrigação, retutoramento e reposição de mudas foram realizadas por determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto no sentido de garantir a consolidação do corredor verde. Por meio do Programa Arboriza Manaus, lançado pelo prefeito em 2016, foram plantadas mais de 700 mudas pau-pretinho nos passeios públicos da mesma avenida, nas duas faixas da via. O florescimento dos ipês ocorre sempre entre os meses de setembro e outubro, dando à avenida uma beleza ímpar. Por meio do Arboriza Manaus, mudas de ipês estão sendo plantadas ainda em diversos logradouros públicos da cidade.

Roberto Brasil