Internos do Compaj participam do Enem

By -

Ao todo são 526 internos inscritos no exame nacional (Foto: Sérgio Rodrigues)

Mais de quinhentos internos do sistema prisional amazonense participam das provas do Exame Nacional de Ensino Médio/Enem, que acontece neste domingo e nos próximo dia 13. Ao todo são 526 deles inscritos no exame nacional.

Os internos do regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, foram preparados para as provas por meio do ‘Projeto Bambu’, um curso preparatório que garantiu a 40 internos aulas diárias de Ciências Humanas, Exatas, Tecnológicas, Biológicas e Redação.

Desde 2015, o Projeto Bambu prepara os interessados para as provas do Enem e Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Na última sexta-feira (3), o secretário-executivo-adjunto da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Major Klinger Paiva, visitou o Compaj, acompanhado da equipe técnica da Umanizzare, cogestora do sistema prisional, parceira no projeto.

“A política da Seap proporciona assistência necessária, do setor de saúde à religião. Os projetos são importantes para a reintegração do reeducando, que está adquirindo conhecimento e reduzindo o tempo ocioso” afirmou o gestor. A coordenadora do projeto, Kariny Miranda, esclareceu que o Bambu caminha lado a lado com o projeto de remição pela Leitura, ampliando as possiblidades de aprendizado dos internos.

Wanderley Penha – que foi professor por 12 anos – disse que Projeto Bambu tem sido o instrumento para realização de seu sonho: “Quero ser engenheiro ambiental. Pode demorar o tempo que for, mas eu nunca vou desistir”. Graças ao Bambu, Wanderley também criou novas amizades e pretende integrar o Projeto Mãos Livres, voltado ao artesanato.

Osmar Delfino Filho, que cumpre pena em regime fechado há 11 anos, destaca que o Projeto Bambu cumpre duas funções simultâneas: prepara para a vida acadêmica e ocupa o tempo livre dentro da prisão. “Estou atualizando minha vida. Quero poder sair, conseguir um emprego e realizar meu maior sonho, que é fazer um curso de exatas.”

“É necessário ressaltar que o Projeto Bambu é muito importante para proporcionar condições igualitárias, oferecendo preparação educacional com material adequado e total suporte. Os projetos possibilitam a redução de pena do interno e a ressocialização”, afirma a gerente técnica corporativa da Umanizzare, Sheryde Karoline.

Roberto Brasil