Inimigo número 1 da saúde, mosquito ‘Aedes’ pode ter lado benéfico

By -
O mosquito Aedes aegypti transmite dengue, zika e chikungunya

O mosquito Aedes aegypti transmite dengue, zika e chikungunya

O mosquito Aedes aegypti, atual inimigo número um da saúde no País por transmitir dengue, febre chikungunya e vírus zika, também pode ter um lado benéfico. Pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto, interior paulista, encontraram substâncias anti-inflamatórias na saliva do inseto capazes de controlar sintomas de doenças intestinais, como a doença de Crohn e a colite ulcerativa.

Os testes positivos foram feitos em camundongos, mas a expectativa é de que se repitam em seres humanos – próxima fase da pesquisa. O estudo começou há quatro anos, a partir da observação de que o mosquito anestesia a pele do hospedeiro ao picá-lo para se alimentar de sangue. Ao estudar os componentes da saliva, os pesquisadores chegaram aos elementos anti-inflamatórios.

De acordo com a pesquisadora Cristina Ribeiro de Barros Cardoso, coordenadora da equipe, foram usados nos testes mosquitos sem infecção por qualquer tipo de vírus. O material extraído das glândulas salivares foi aplicado em camundongos que tiveram a colite ulcerativa e a doença de Crohn induzidas. “Logo nas primeiras aplicações notamos a melhora dos sintomas e, ao final, a doença foi totalmente inibida.”

Apesar de ressaltarem que os estudos continuam e é cedo para falar em terapêutica para humanos, os pesquisadores estão otimistas. Além das respostas positivas, chamou a atenção o fato de o extrato da saliva não ter sido tóxico para as células do corpo tratado. Os efeitos colaterais são problema nos medicamentos para a colite e outras enfermidades intestinais. De acordo com a pesquisadora, ainda são necessários testes pré-clínicos específicos para confirmar que o extrato salivar do mosquito pode ser usado com segurança em seres humanos.

Fonte: Estadão Conteúdo

Roberto Brasil