IMPEACHMENT: Muro voltará a separar manifestantes durante votação no Senado

By -
Manifestantes contra (à esq.) e favor (à dir.) do impeachment na Esplanada dos Ministérios

Manifestantes contra (à esq.) e favor (à dir.) do impeachment na Esplanada dos Ministérios

Com a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário do Senado, a cúpula de segurança do governo do Distrito Federal voltou a ficar em estado de alerta. O governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), avisou que o esquema de segurança será o mesmo que foi usado durante a sessão da Câmara. Entre as medidas, está a volta do polêmico muro de ferro que dividiu os manifestantes que acompanharam a votação no gramado da Esplanada entre 15 e 17 de abril:

— (O esquema de segurança) vai se repetir. O que alguns chamaram de muro, nós estamos chamando de “corredor da democracia”. Ele permitiu que grupos com opiniões divergentes pudessem se manifestar livremente com total segurança. Não tivemos um único incidente, então esperamos poder repetir isso na votação no Senado.

A Secretaria de Segurança do DF confirmou que o esquema de proteção da região da Esplanada será o mesmo. O muro será cercado por grades, formando um corredor de um quilômetro de comprimento por 80 metros de largura. Quem acompanhar a sessão no gramado deve se dirigir ao lado correspondente ao seu posicionamento: os favoráveis à saída da presidente ficarão ao lado direito do Congresso; os contrários, à esquerda.

(Com AGÊNCIA O GLOBO)

Roberto Brasil