Idéia e Oportunidade

By -

Jefferson-Praia-500x167

Viver em meio à tempestade – vai ser assim em 2016. Os primeiros dias do ano estão nos deixando apavorados. Combustível caro, reajuste absurdo de energia e água; taxa de juros nas alturas; dólar com tendência a se valorizar ainda mais em relação ao real; desemprego deixando muitas famílias desesperadas; e, a doença principal: a inflação ainda sem controle. A motivação para empreender, diante de um cenário econômico tão desacreditado, não é boa. Mas, não se esqueça: nas crises aparecem muitas oportunidades.

De acordo com o GEM- Global Entrepreneurship Monitor, em uma pesquisa realizada, em 2014, 60,9% dos empreendedores brasileiros afirmaram que não tinham medo de fracassar ao iniciar um negócio. De lá para cá muita coisa mudou. Será que esse percentual vai permanecer onde está? Sei que devemos vencer o medo, sermos ousados, não temer o risco, entretanto, cuidado com os impulsos.

Ter uma “ótima idéia” é o desejo de muitos que querem empreender. Como encontrá-la? Não é fácil! As idéias surgem de várias maneiras: experiência na área em que você trabalha; interesses pessoais; hobbies; cursos, entre outros. Depois de encontrá-la, você deve verificar se a idéia proporciona uma boa oportunidade. Porque nem sempre uma boa idéia é uma oportunidade de investimento. Lembro das palavras do professor José Dornelas “o empreendedor deve saber diferenciar idéias de oportunidades, pois o processo empreendedor depende de oportunidades para acontecer e não de idéias. Por outro lado, uma oportunidade pode ser decorrente de uma idéia. Idéias não têm comprometimento econômico ou de ser viável. Já oportunidade é uma idéia economicamente viável, que trabalha com chances de ser implementada com sucesso.”

Ao encontrar uma idéia, para verificar se ela é uma oportunidade, pergunte: qual a oportunidade por trás dessa idéia? Será que as pessoas vão se interessar em comprar o que pretendo oferecer ao mercado? Há demanda pelo produto ou serviço? Tem qualidade, bom preço? Não se esqueça que o mercado é quem manda. Encontre o nicho de mercado- parcela inexplorada, o público alvo. Lembre-se, antes de iniciar não hesite em fazer um plano de negócios. Na internet você encontra como fazer o seu; em caso de dúvida, procure um profissional da área.

Essa crise é uma das piores que já tivemos. Ela é econômica e política, por isso vai ser longa. Em setembro do ano passado a Confederação Nacional da Indústria publicou uma pesquisa que constatou que 57% dos brasileiros mudaram de hábitos. Algumas novas oportunidades podem estar surgindo, fique atento.

Para os que estão com seus negócios em andamento, o momento é o de verificar em que parte a empresa não vai bem. Comece com o Atendimento, examine a Qualidade do produto ou serviço, elimine Custos, invista em Marketing, estimule Inovações e fique de olho na concorrência.

Bem, nós somos maiores que essa crise. A chama empreendedora não vai se apagar. Mantenha a dedicação, a motivação e, principalmente a fé.

 

Mario Dantas