Hissa apresenta propostas a empresários do ramo de drogarias

By -
hissa-empresarios-drogarias
Uma parceria entre a administração municipal e a iniciativa privada deverá fortalecer o acesso da população a medicamentos de baixo custo no mercado local. Esta é a proposta do prefeiturável Hissa Abrahão, líder da coligação “Novas Ideias, Novo Caminho” (PDT/PSDC), cuja meta é ampliar em até dois anos a variedade de remédios, inclusive os mais complexos, de forma controlada e sem excessos nos centros de saúde e nas farmácias populares da capital.
A ideia, apresentada durante um ciclo de debates promovido pelo setor da capital amazonense, no último fim de semana, faz parte do Eixo 3 da plataforma de governo de Hissa Abrahão, cujo mote principal é a implantação da cultura da saúde básica preventiva para reduzir a demanda nos grandes centros de tratamento.
Em sua fala, o prefeiturável, acompanhado do vice Adjuto Afonso, explicou aos empresários que atuam no ramo que o plano político engloba o cadastramento, análise e acompanhamento de pessoas no centro de saúde mais próximo de onde moram e apresentação do prontuário médico nas farmácias parceiras da rede municipal.
“Considero extremamente relevante essa parceria, já que em todos os bairros há sempre uma drogaria ou farmácia bem próxima que pode até não ser de grande porte, mas sempre estará aberta. Então, a ideia está em usar essa estrutura para atender às demandas de forma célere e personalizada, conforme a necessidade. Isso é parte de uma gestão inteligente e humanizada, onde a população mais necessitada terá acesso facilitado à saúde com oferta de medicamentos essenciais e exames de rotina”, esclareceu Hissa Abrahão.
Hissa informou que em seu governo, o paciente em vez de se deslocar do bairro Grande Vitória para adquirir o remédio na Farmácia Popular, por exemplo, no São José, ambos na Zona Leste, poderá ter acesso ao remédio na drogaria da comunidade. “Temos de facilitar o acesso à pessoa que quer se tratar com mais rapidez. O doente tem pressa para ser curado e nós temos de criar mecanismos para facilitar a vida do cidadão. E nós vamos procurar os empresários, comerciantes para firmar essa parceria. Seja para facilitar o acesso aos remédios e também na realização de exames de rotina”, disse.
Durante a reunião, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Drogas do Amazonas (Sindidrogas), Armando Reis, apoiou a ideia de Hissa e apresentou as dificuldades encontradas pelos empresários junto à prefeitura. “Conte com o nosso apoio e parceria em seu governo. Mas queremos o apoio da prefeitura a partir do ano que vem na facilitação do alvará de funcionamento, uma vez que a licença atualmente só tem duração de um ano, e quando vamos tirar a documentação, nós esperamos mais de um ano e meio para ser atendido. Muitos trabalham na ilegalidade devido à demora na liberação do alvará”, disse o sindicalista a Hissa. “Queremos uma licença de cinco anos, para que o empresário saia desse sufoco dos dias atuais”, completou

 

Mario Dantas