Governo do Estado fecha parceria com Google para serviços tecnológicos educacionais

By -
"Não se pode mais pensar num sistema educacional do passado", destacou José Melo

“Não se pode mais pensar num sistema educacional do passado”, destacou José Melo

Professores e estudantes da Rede Estadual de Ensino do Amazonas vão fazer parte de uma experiência pioneira com a Google para a utilização de ferramentas tecnológicas educacionais feitas para a internet pela multinacional. Este é objetivo da parceria formalizada na tarde desta terça-feira, entre o governador José Melo e representantes da empresa, na sede do Governo do Amazonas.

Com a parceria, professores e alunos terão acesso gratuito aos serviços e aplicativos digitais “Google Educação” (Google Education), que teve algumas de suas ferramentas adaptadas exclusivamente para professores, estudantes e servidores da rede pública estadual do Amazonas. O projeto, coordenado pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc), vai beneficiar mais de 16 mil professores e 450 mil alunos das escolas da capital e do interior.

“Essa parceria é muito importante. Não se pode mais pensar num sistema educacional do passado, mas num sistema educacional que dê agilidade à educação no tempo certo e que permita que professores e alunos possam acessar a todos estes conteúdos e aprimorar melhor seus conhecimentos”, disse o governador José Melo, ao lembrar que esse processo de inclusão digital só foi possível por conta dos investimentos feitos pelo Governo do Estado a partir de 2010.

Desde então, foram aplicados R$ 279 milhões entre equipamentos e conectividade. Todos os professores receberam notebooks e, mais recentemente, alunos e professores passaram a ter acesso aos tablets com conteúdos educativos. As escolas receberam laboratórios de informática e 267 delas já possuem conexão Wi-Fi. Mais recentemente, os professores das escolas da capital e algumas do interior começaram a receber modem para internet móvel, tecnologia que deverá chegar a todos os 20 mil educadores da capital e do interior.

jose-melo-e-google-02“O Governo do Estado, a partir de 2010, tomou a decisão de investir em tecnologias e agora com esta parceria vamos avançar para que todos os alunos e professores tenham conectividade e acesso aos conteúdos educacionais disponibilizados pela Google”, reforçou o governador.

De acordo com secretário estadual de Educação, Rossieli Soares da Silva, a parceria inovadora pretende favorecer a aprendizagem e o aproveitamento educacional de milhares de estudantes e centenas de professores a partir de solução tecnológica de alto padrão. “Esta parceria histórica firmada com a empresa Google tem por finalidade o fornecimento de alternativas pedagógicas para nossos estudantes e professores.  Todo o projeto e a gama de serviços que serão disponibilizados gratuitamente para nossa comunidade escolar virá para somar aos demais recursos tecnológicos com os quais estamos equipando nossas escolas e disponibilizando de forma pedagógica para alunos e professores”, disse.

De acordo com Thais Blumenthal de Moraes, New Business Development/Brasil da multinacional, esta é uma experiência pioneira da Google para o uso de ferramentas educativas e soluções de conectividade no processo de educação. Ela explica ainda que o projeto não vai gerar custo para o Estado, que já fez os investimentos necessários. Segundo ela, a Google cobra cerca de 5 dólares por conta o que geraria um custo de 60 milhões de dólares por ano a o Governo do Estado, caso fosse cobrado pelo acesso aos conteúdos.

“O critério de escolha do Amazonas para receber o piloto foram, em primeiro lugar, os investimentos feitos e a vontade do Estado em querer fazer acontecer”, disse a executiva, além de citar as questões peculiares da região como as distâncias.

Entre as novidades em desenvolvimento pela Google para ser utilizado no Amazonas está um equipamento que registra o conteúdo aplicado em sala de aula e que depois pode ser acessado em casa pelo aluno, sem necessidade de conexão com internet. Os alunos também podem usar as ferramentas disponíveis para tirar dúvidas de casa com os professores sobre assuntos tratados em sala de aula.

Também participaram do evento na sede do governo os seguintes executivos da Google: Oyesiku (Global lead for Education Access solutions), Jack Férmon (Head of Latin America, Education go Digital) e  Alexandre Jacquet (Technical Program Manger/Brasil)

Esta é uma experiência pioneira da Google para o uso de ferramentas educativas

Esta é uma experiência pioneira da Google para o uso de ferramentas educativas

Benefícios – Os professores serão os primeiros a ter acesso ao conteúdo através de uma conta pessoal e de  um e-mail particular que pode ser acessado por meio do endereço eletrônico: googleeducacao.seduc.am.gov.br ou em um link (banner) que consta no site da Seduc: www.educacao.am.gov.br.  Pela conta, o usuário acessa os conteúdos e ferramentas disponíveis, dentre os quais: Google Drive (para documentos, planilhas e apresentações), Google Agenda, Google +, Google Translater (tradutor), Google Maps, Google Acadêmico, Google Books, dentre outros.

Além destes recursos e aplicativos, professores e estudantes da rede estadual do Amazonas também passam a ter acesso a conteúdos como o “YouTubeEDU” por meio do qual se poderá acessar milhares de vídeos educativos gratuitos de alta qualidade no YouTube em um ambiente controlado e o “Google Classroom (ou Google Sala de Aula)”, que auxiliará o professor a manter as turmas organizadas e aprimorar a comunicação com os alunos, podendo também ser utilizado para criar, compartilhar e inclusive fazer correções de tarefas educacionais.

Capacitações – Para otimizar a utilização dos novos recursos tecnológicos disponibilizados pelo projeto, a Seduc em parceria com a Google colocará em prática um amplo projeto de formação destinado a professores e futuramente para alunos monitores.

O primeiro ciclo de formação tem início nesta semana com a capacitação direcionada a educadores (representantes das sete coordenadorias distritais de educação de Manaus). No dia 13 de abril já está previsto, também, um curso on-line (de 40h) que poderá ser acessado por qualquer educador da rede estadual interessado.

Outras ações – Além da disponibilização de um e-mail particular com capacidade ilimitada de armazenamento e do acesso a serviços e aplicativos, dos quais muitos exclusivos, associados ao “Google Educação”, o projeto prevê ainda a definição de escolas-piloto nas quais professores e estudantes – juntamente aos docentes do Centro de Mídias de Educação – terão acesso a recursos tecnológicos diferenciados, incluindo chromebooks e outras ferramentas tecnológicas associadas ao ensino.

Roberto Brasil