Governador José Melo recebe investidores da China

By -
A China vê hoje o Amazonas como um grande parceiro comercial daquele grande país, disse Melo

A China vê hoje o Amazonas como um grande parceiro comercial daquele grande país, disse Melo

O governador José Melo recebeu, na manhã desta terça-feira, 19 de janeiro, um grupo de empresários chineses interessados em investir no Amazonas, principalmente no Polo Industrial de Manaus (PIM) e em áreas como a, piscicultura, mineração e infraestrutura. Durante o encontro, na sede do Governo do Estado, na zona oeste de Manaus, o governador determinou a criação de um grupo de trabalho para captar investimentos na China.

A reunião é desdobramento de outros encontros já realizados com investidores chineses que têm interesse em saber sobre as vantagens de aplicar recursos no Amazonas. “Eles querem investir não só no Polo Industrial de Manaus, mas também na outra matriz econômica que o nosso governo está construindo, como produção de peixes em cativeiro, mineração, farmacopeia, produção de cosméticos, entre outras áreas”, afirmou José Melo.

O grupo de trabalho que será criado para mapear oportunidades e captar investimentos chineses, segundo o governador, será liderado por técnicos da Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti).

comitiva-chinesa-no-amazonas-03Durante a reunião também ficou acertado que o Amazonas irá participar, em setembro, de uma feira de exposições na China, que reúne cerca de 30 países asiáticos, com o objetivo de mostrar as oportunidades oferecidas pelo Estado. “Eles têm um leque enorme de recursos e estão à procura de um local seguro e que dê retorno. A China vê hoje o Amazonas como um grande parceiro comercial daquele grande país que tem uma economia forte e um número de consumidores muito grande”, destacou José Melo.

Na área de infraestrutura, os chineses possuem recursos para os projetos de conclusão da cidade universitária da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em Iranduba, obras de duplicação da rodovia AM-010 e construção de um porto em Itacoatiara.

Também participaram da reunião os secretários de Estado da Fazenda, Afonso Lobo, e da Seplancti, Thomaz Nogueira, que apresentou aos empresários um panorama da economia do Estado, da Zona Franca de Manaus e de oportunidades de investimento no Amazonas.

Minha função é fazer esse ‘link’ para que não seja apenas mais uma visita, destacou o empresário Frederico Itajahy

Minha função é fazer esse ‘link’ para que não seja apenas mais uma visita, destacou o empresário Frederico Itajahy

O presidente da Câmara Comercial e de Relações Econômicas e Culturais Brasil-China, Shie Chun Kuang, destacou que o país tem muitos projetos que podem beneficiar a população do Amazonas, gerando emprego e renda. “Nós já organizamos várias missões aqui e os empresários ficaram muito interessados em investir no Estado. Para isso, precisamos aprofundar cada vez mais a relação com o Amazonas”, declarou.

Na avaliação do representante da Câmara Brasil-China em Manaus, empresário Frederico Itajahy, que ficará responsável pela intermediação das negociações com os chineses, essa foi a reunião mais importante até agora, na qual foram concretizadas ações. “Minha função é fazer esse ‘link’ para que não seja apenas mais uma visita e quando eles voltarem para a China seja dada continuidade ao trabalho”, disse.

Precisamos aprofundar cada vez mais a relação com o Amazonas, declarou Shie Chun Kuang

Precisamos aprofundar cada vez mais a relação com o Amazonas, declarou Shie Chun Kuang

Protocolo de Intenções – Fruto de negociações já em andamento, o Governo do Amazonas e a empresa China Electronics Corporations (Ceiec) firmaram, no ano passado, Protocolo de Intenções para, entre outros objetivos, explorar os possíveis mecanismos governamentais e privados com a finalidade de propiciar a investigação científica e o desenvolvimento do Amazonas; incentivar a melhor utilização dos mecanismos de compartilhamento de informações nas áreas de interesse mútuo; identificar possibilidades que promovam o reconhecimento dos produtos locais da Amazônia (industriais ou agrícolas) na China; e identificar o melhor programa ou projeto no qual a Ceiec possa participar ou investir no Amazonas.

A Ceiec é um dos principais conglomerados estatais, constituindo-se como a maior empresa de tecnologia da informação estatal da China. Seus negócios abrangem mais de 100 países e regiões do mundo. Entre as marcas que pertencem ao grupo chinês estão a AOC, maior fabricante mundial de monitores para computadores, e Philips, na área de televisores. Ambas as fábricas estão instaladas em Manaus.

Roberto Brasil