Governador José Melo assina convênio com Governo Federal para erradicação da febre aftosa no Amazonas

By -
"Isso trás muitas vantagens. O preço da arroba do boi livre da febre aftosa é muito maior", frisou José Melo

“Isso trás muitas vantagens. O preço da arroba do boi livre da febre aftosa é muito maior”, frisou José Melo

O governador do Amazonas, José Melo, assinou nesta quarta-feira, 6 de maio, em Brasília (DF), convênio para ampliar as ações no Estado do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa. A assinatura ocorreu durante o lançamento do Plano Nacional de Defesa Agropecuária, pela presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. O programa visa intensificar as medidas de proteção do rebanho bovino e tornar o Brasil livre da doença.

Além do Amazonas, o programa para erradicação da febre aftosa vai atender Roraima e Amapá, os únicos no Brasil que ainda não possuem status de livre da aftosa. A previsão do Governo Federal é liberar R$ 2 milhões para cada Estado no reforço à prevenção, por meio do programa.

melo-convenio-aftosa-01No Amazonas, não há registros de casos da doença. Os municípios de Boca do Acre, Guajará e parte de Lábrea e de Canutama, já são classificadas como livre de febre aftosa com vacinação, mas, nas demais localidades, o Estado é considerado zona de classificação de médio risco, segundo parâmetro do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

De acordo com o governador José Melo, ter a conquista do status de Estado livre da doença deve impulsionar a pecuária no Amazonas. “Isso trás muitas vantagens. O preço da arroba do boi livre da febre aftosa é muito maior. E o Brasil, para poder sonhar em avançar para novos mercados, precisa se tornar como um todo livre da doença. Nosso Governo, juntamente com o Governo Federal e o dos demais Estados, estão somando esforços para que até o mês de agosto todo o país esteja livre de febre aftosa”, afirmou. A estimativa é que o preço da arroba da cabeça do boi do Amazonas, que hoje gira em torno de R$ 112, chegue, com a erradicação da doença, a até R$ 140 e que se agregue valor também no preço dos bezerros.

melo-convenio-aftosa-03O rebanho amazonense é de 1,5 milhão de cabeças de gado e já conta com programa de imunização regular pelo Governo do Estado. Este ano, a campanha foi antecipada pela Secretaria de Produção Rural e Sustentabilidade (Sepror) nas cidades da região de várzea por conta da cheia dos rios. Até o final de maio, 650 mil animais serão imunizados em 41 municípios. Os demais 850 mil animais, distribuídos em 21 municípios de terra firme, serão vacinados seguindo o calendário.

O Governo do Amazonas vem perseguindo a conquista da certificação como zona livre da aftosa no País. Após a etapa de vacinação, os produtores têm de comprovar à fiscalização da Sepror a imunização do gado sob pena de multas e proibição do comércio. Em outra frente para comprovar a sorologia negativa do rebanho, a Sepror está realizando testes com uma amostra de 30 mil animais. O procedimento é feito com autorização do Mapa e o resultado deve sair no mês de julho.

Roberto Brasil