Galerias populares do Centro agora têm 50 comerciantes bilíngues

By -
Aqui eles têm o mesmo otimismo que eu tenho. E qualquer dificuldade, vamos enfrentar juntos, disse  Artur Neto

Aqui eles têm o mesmo otimismo que eu tenho. E qualquer dificuldade, vamos enfrentar juntos, disse Artur Neto

Pelo menos 50 comerciantes das galerias dos Remédios e Espírito Santo, no Centro, podem fazer atendimento aos clientes em português e inglês. O fato é resultado de um curso ministrado pela Prefeitura de Manaus como parte do projeto “Viva Centro Galerias Populares”, que, além de realocar os trabalhadores das calçadas, também os capacita com cursos de formação e qualificação. A certificação dos microempreendedores foi realizada na noite desta quinta-feira, 16, com a presença do prefeito Artur Virgílio Neto.

A solenidade ocorreu no Les Artistes Café Teatro, no Centro. Na ocasião, os microempreendedores receberam o certificado de formatura do curso de língua inglesa ministrado pela Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad). Em uma solenidade simbólica, cinco dos formandos foram convidados ao palco para receber, das mãos das autoridades presentes, os diplomas de conclusão do curso, que iniciou em 18 de maio e foi concluído dia 10 de julho, totalizando 46 horas de formação.

camelos-bilingue-galerias-populares-2“É um conjunto de cursos que estão sendo oferecidos e o inglês é apenas mais um deles. É uma ferramenta para que eles possam ampliar o atendimento ao cliente, considerando que Manaus é um destino turístico e que a cidade também será uma das sedes dos jogos de futebol das Olimpíadas em 2016. Isso é um pacote, um conjunto de cursos que não vai parar. A atividade de qualificação e capacitação dos ex-camelôs que se tornaram microempreendedores é um trabalho que a prefeitura vai fazer todo tempo”, destacou a diretora-geral da Espi, Luiza Bessa Rebelo.

O prefeito de Manaus classificou os novos microempreendedores como “desbravadores, pessoas corajosas e vencedoras”. “Eles não desistem, são pessoas que construíram suas vidas, vendendo nas ruas. Viviam no sol e na chuva não podiam vender. Eram sujeitos a roubos, a agiotas e perseguições. Mas agora encontraram um horizonte melhor. Aqui eles têm o mesmo otimismo que eu tenho. E qualquer dificuldade, vamos enfrentar juntos”, garantiu Artur.

camelos-bilingue-galerias-populares-3O chefe do Executivo Municipal afirmou, ainda, que agora os ex-camelôs estão em um “caminho estável”. “Manaus, na Copa, já preparou muita gente. Nas Olimpíadas, agora preparamos muito mais. Nós temos cursos que estão aí rolando firmes na direção de termos um povo bilíngue. E os comerciantes [das galerias] agora têm suas lojas, são donos dos próprios negócios e com status de empreendedores”, ressaltou o prefeito. 

Crença no projeto

Orador da turma da Galeria dos Remédios, o comerciante Alício de Souza mostrou que as aulas deram resultado. Ao subir ao palco para receber o certificado das mãos do subsecretário do Centro Histórico, Glauco Francesco, ele discursou em inglês diante das autoridades – o que motivou aplausos emocionados do público. O ex-camelô, que permaneceu nas ruas do Centro por mais de dez anos, agradeceu principalmente ao prefeito pela iniciativa do projeto Viva Centro.

camelos-bilingue-galerias-populares-4Quem também chamou a atenção foi o comerciante Orlando Tenório Cardoso, o mais idoso da turma, com 81 anos. Mesmo com dificuldades para andar e se expressar, o trabalhador fez questão de subir ao palco para fazer seu agradecimento. Visivelmente emocionado, ele recebeu o certificado das mãos da diretora-geral da Espi, Luiza Bessa Rebelo.

Outros comerciantes presentes elogiaram a iniciativa. Elvira Rebouças Aires, que atuava há 19 anos no comércio informal e agora trabalha na Galeria dos Remédios, conta que o curso é mais uma conquista da categoria. “Já é o terceiro curso que estamos fazendo. Fizemos o primeiro, quando saímos das ruas, e estou fazendo o segundo, que é o de alimentação, além do inglês. Para nós tem sido muito bom, um grande aprendizado, mesmo porque acreditamos que a nossa galeria vai ‘bombar’”, destacou.

Clea Martins já está há uma década no comércio. Para ela, o curso será fundamental para o melhor atendimento aos turistas. “Serviu muito para nós. O que aprendemos vai melhorar o nosso atendimento. Agora quero fazer outros cursos, qualquer curso que venha dele [da gestão do prefeito] para nós. Tudo o que aparecer, vou fazer porque vai ser muito bom”, destacou a microempreendedora.

Roberto Brasil