FVS confirma mais três casos de H1N1 em Manaus

By -

susam-logo

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Saúde (Susam), confirmou nesta segunda-feira (dia 18) três novos casos do vírus H1N1 em Manaus, após resultado  de exames  realizados no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), do Governo do Estado. Com os novos registros, o Amazonas passa a ter cinco casos confirmados de H1N1, este ano, incluindo um óbito (de uma paciente que adquiriu o vírus fora do Estado).

Sobre os três novos casos, o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, informou que os pacientes – duas crianças menores de cinco anos e uma mulher, mãe de uma delas — apresentavam síndrome gripal, sem evidências clínicas de complicações, tiveram atendimento ambulatorial, com coleta de material para exames, cujas amostras foram encaminhadas para o Lacen. “Todos se recuperaram do quadro, sem maiores problemas”, explicou.

Bernardino informou que a FVS ainda aguarda o resultado da análise de outras três amostras que foram encaminhadas ao Lacen, serviço credenciado pelo Ministério da Saúde para realizar os testes, por meio da metodologia de biologia molecular. “Os resultados devem sair nesta semana, e os pacientes seguem fazendo o acompanhamento nas unidades de saúde”, salientou Albuquerque.

A FVS-AM reforçou as orientações à população que mantenha os cuidados com a higiene, como a lavagem das mãos ou o uso do álcool gel, e que evite lugares fechados, de muita aglomeração.

Vacinação – O secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, informou que o Amazonas deverá receber, nesta terça-feira (19), do Ministério da Saúde, o segundo e último lote de vacinas contra a Influenza, que permitirá concluir o abastecimento dos municípios para a grande campanha nacional de imunização que começa no dia 30 deste mês e vai até 20 de maio.

Com o primeiro lote de vacinas, que chegou ao Estado no início de abril com 500 mil doses, a Susam iniciou o abastecimento dos municípios mais distantes de Manaus. “O envio deste novo lote completará o total das 1.048 previstas para o Amazonas e poderemos concluir o trabalho de distribuição para os municípios mais próximos e a capital”, informou Pedro Elias.

A campanha de vacinação contra a Influenza é executada pelas Secretarias Municipais de Saúde. Os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para receber a proteção contra a gripe incluem as pessoas com 60 anos ou mais de idade; crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias); as gestantes; as puérperas (até 45 dias após o parto); os trabalhadores de saúde; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; a população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Segundo a gerente do Programa Estadual de Imunização, Izabel Nascimento, no Amazonas, estes grupos formam uma população estimada de 943 mil pessoas. Ela explica que a meta fixada pelo Ministério é imunizar ao menos 80% desta população, durante o período da campanha e destaca que, como nos anos anteriores, a vacina disponibilizada na campanha inclui a proteção contra o vírus Influenza A/H1N1.

Na semana passada, para reforçar as orientações sobre a ação e tirar dúvidas dos técnicos que estarão na coordenação das atividades no interior do Estado, a FVS e a Gerência Estadual de Imunização promoveram uma videoconferência, a partir de Manaus, durante a qual foram repassadas informações e reiterada a importância do empenho de cada secretaria para assegurar que a campanha alcance ampla cobertura vacinal, nas sedes e áreas rurais dos municípios.

 Dia de Mobilização – No dia 30, um sábado, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão funcionando, das 8h às 17h, em todo o Estado para participar do Dia Nacional de Mobilização contra a Influenza, que marca o início da campanha de vacinação. “Cada Secretaria Municipal de Saúde deve estabelecer sua estratégia para permitir que, neste dia, o maior número possível de pessoas sejam imunizadas, para um bom começo em direção às metas de cobertura vacinal”, disse o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque. Ele ressalta que muitas secretarias, além do atendimento feito nas UBSs, também optam por colocar postos de vacinação em locais de grande circulação de pessoas, trabalham com equipes itinerantes e, em alguns casos, até com vacinação domiciliar. “O importante é que as secretarias se engajem na campanha e busquem assegurar e facilitar o acesso dos grupos prioritários à vacina”, disse Bernardino.

A estratégia de vacinação contra a Influenza foi incorporada no Programa Nacional de Imunizações em 1999, com o propósito de reduzir internações, complicações e mortes na população-alvo para a vacinação no Brasil.

Mario Dantas