Furtos na iluminação pública geram prejuízo mensal de até R$ 100 mil

By -
Os furtos ocorrem em áreas onde há pouca trafegabilidade, principalmente no período noturno

Os furtos ocorrem em áreas onde há pouca trafegabilidade, principalmente no período noturno

Desde o início da gestão do Prefeito Artur Neto até o mês de agosto de 2014, houve um aumento de mais de 1 mil novos pontos de iluminação pública no município de Manaus. Além dos números, a Prefeitura tem modernizado o serviço prestado na área de iluminação pública com a implantação de lâmpadas de vapor metálico e de LED (Led Light Emitting Diode). No entanto, o furto de condutores elétricos, transformadores e luminárias, e atos de vandalismos constantes geram um prejuízo de até R$ 100 mil por mês aos cofres públicos.

Somente nas principais vias que estão recebendo o recapeamento asfáltico nas zonas Norte, Leste e Oeste, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) constatou um percentual de 11% de luminárias quebradas por vândalos. Na zona Oeste, nas comunidades Campos Sales, Parque Riachuelo, Parque Rio Solimões e Parque São Pedro, no bairro Tarumã, o índice sobe para 38%.

iluminaçao-publica-manaus2Segundo o diretor do Departamento de Serviços de Iluminação Pública da Seminf, engenheiro Diógenes Frazão, o furto de luminárias, cabos elétricos e transformadores ocorre principalmente em áreas onde há pouca trafegabilidade, principalmente no período noturno, quando se tornam altamente vulneráveis.“Podemos afirmar que os bairros onde há maior frequência dessas ocorrências são o Distrito Industrial, Colônia Oliveira Machado e Puraquequara. No caso do extravio de luminárias, ocorrem principalmente quando as empresas terceirizadas da concessionária de energia elétrica realizam os serviços de substituição de postes. Isso porque as luminárias são removidas permanentemente do local por funcionários destas empreiteiras, que se aproveitam da obra para praticarem o furto e vendê-las no mercado negro”, informou o engenheiro. Estima-se que mensalmente a Prefeitura custeia entre R$ 30 mil a R$ 100 mil com a reposição destes materiais. No mês de maio de 2014, por exemplo, houve um furto de 1.800 metros de condutor elétrico do circuito de iluminação do Parque dos Bilhares, Chapada, o que gerou um prejuízo de R$ 27.306,00 para o cabeamento ser reposto. Outro exemplo de furto aconteceu na Ponte da Avenida 7 de Setembro, Centro. Os cabos que energizavam a iluminação do local foram furtados, o que gerou a necessidade de se instalar projetores para iluminá-la provisoriamente. “Após este episódio foi solicitada a elaboração de projeto de iluminação especial para o logradouro, conforme os aspectos arquitetônicos da ponte, para que, posteriormente, seja implantado o novo sistema de iluminação da via”, explica o engenheiro.

Iluminação Pública em ManausVale ressaltar que para furtar condutores elétricos, transformadores e luminárias são necessários equipamentos especiais para realizar o ato, como um caminhão cesto por exemplo. A Prefeitura vem tentando ao máximo coibir estas práticas ilícitas, porém a dificuldade é grande nas áreas onde há pouca trafegabilidade, como explica o engenheiro Diógenes.

“Nos circuitos elétricos subterrâneos, por exemplo, as caixas de passagens e eletrodutos vêm sendo concretados a fim de evitar ou dificultar o furto dos cabos. Já nos circuitos elétricos aéreos o cabeamento é lançado numa altura que visa inibir o extravio. Porém, mesmo com todas estas iniciativas, os ladrões ainda conseguem cometer roubos.”

Roberto Brasil