Francisco Souza articula diálogo com órgãos para liberação do aeródromo de Humaitá

By -

Dep. Francisco Souza

Nesta quarta-feira (12), o deputado estadual Francisco Souza (PTN) informou, na Assembleia Legislativa do Amazonas, que já iniciou articulação com órgãos do Estado e Governo Federal para liberação do aeródromo de Humaitá, que está interditado desde dezembro do ano passado, prejudicando diversos segmentos e deixando a população com poucas possibilidades de deslocamento rápido em caso de urgências. 

A interdição do aeródromo do município de Humaitá, no sul do Estado, foi tema audiência pública no último dia dia 24 de março, na Câmara Municipal da cidade, requerida por Francisco Souza. 

De acordo com o parlamentar, o local já tinha autorização para operação de aviação comercial regular na modalidade de operação charter. “Vamos levar a problemática para os órgãos competentes para tentar resolver a situação o mais breve possível. Uma cidade não pode ficar sem possibilidade de voos. Por ser um aeródromo, não está sob a responsabilidade da Infraero, mas vamos até a Anac em Brasília para saber a situação mais detalhada”, disse. 

Souza destacou que a cidade de Humaitá tem mais de 50 mil habitantes e não tem como ficar sem um aeródromo funcionando, sob pena de prejudicar urgências médicas, por exemplo. 

Em 2 de Dezembro de 2016, a Portaria n° 3.136/2016 suspendeu as atividades do aeródromo, fechando ao tráfego aéreo, impedindo, por exemplo, as operações da Empresa Map Linhas Aéreas, que operacionalizava um voo semanal, Manaus–Humaitá e Humaitá- Manaus, com capacidade de atendimento de 32 passageiros por voo.  

O parlamentar também ressalta o impacto atual do isolamento aeroportuário, que traz prejuízos econômicos e sociais. “Usamos como exemplo as empresas de UTI, que atendem aos Municípios na localidade do Rio Madeira, que nesta situação estão impossibilitados de fazer qualquer transferência de pacientes para outros Hospitais Especializados em Manaus”, afirmou.

Roberto Brasil