Francisca Mendes realiza 8ª Caminhada do Clube do Coração

By -

hospital-francisca-mendes_

A Fundação Hospital do Coração Francisca Mendes realiza, nesta sexta-feira, 2 de dezembro, a 8ª Caminhada do Clube do Coração. O evento será realizado no Centro de Convivência Padre Pedro Vignola (rua Gandú, 119, Cidade Nova I, zona norte), a partir das 7h30.

A Caminhada do Clube do Coração faz parte do calendário anual de eventos realizados pelo Hospital Francisca Mendes e tem o objetivo de incentivar a população a praticar o exercício de caminhar, que apesar de ser uma atividade considerada leve traz inúmeros benefícios para a saúde.

“A caminhada não tem contra indicações e só traz benefícios para quem a pratica”, explica o chefe do serviço de cirurgia vascular da Fundação Hospital do Coração Francisca Mendes, Mariano Terrazas.

 

Pacientes – A Caminhada do Coração contará com a participação de pacientes que fazem tratamento na unidade, dos profissionais e também da população em geral.

“É um momento que nós nos exercitamos e chamamos atenção das pessoas de que é importante manter uma rotina de exercícios físicos, isso nos mantém saudáveis e com menos propensão a ter doenças como as cardíacas”, explica Mariano Terrazas.

 

Referência – A Fundação Hospital do Coração Francisca Mendes é a unidade de referência para o atendimento e tratamento de doenças cardíacas na rede estadual de saúde. A unidade conta com uma equipe especialidade para diagnosticar e tratar as doenças cardiovasculares, tanto em crianças quanto em adultos. A unidade oferta o atendimento ambulatorial e também o cirúrgico.

 

Além do atendimento médico e ambulatorial a unidade também oferta atividades extras cujo objetivo é promover a prevenção das doenças cardiovasculares entre a população. Dentro da unidade foi criado o Clube do Coração, através do qual são realizadas atividades como palestras educativas, caminhadas, passeios, envolvendo pacientes, familiares e profissionais da unidade.

“Nosso principal objetivo é manter os pacientes ativos, mostrar que eles podem e devem ter uma vida normal”, completa Mariano.

 

Mario Dantas