Fim do ‘Programa Luz para Todos’ preocupa vereadores de Manacapuru

By -

Da Redação – Nesta quinta-feira (17), no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado Sinésio Campos (PT) junto aos vereadores da Câmara Municipal de Manacapuru expressaram sua preocupação pelo possível fim do Programa Luz que, segundo programação, deverá atender a 240 comunidades rurais deste município. Vários parlamentares se pronunciaram a favor do solicitado.

“Eu acompanho este Programa desde quando a ex-presidenta Dilma era ministra de Minas e Energia. No Baixo Amazonas, onde está Manacapuru, a empresa Intek ganhou a licitação para fazer esta obra de mais de seis milhões. Tem várias comunidades que foram contempladas, mas não foram atendidas. A lista das comunidades beneficiadas está no documento planejamento de obras deste ano”, salientou o deputado Sinésio Campos.

O parlamentar explicou o Programa é de inclusão social independente do que o governo está pensando fazer, como privatizar a energia elétrica. “Deve cumprir o compromisso assumido, pois não adianta pensar que o cidadão vai se fixar na área rural se não dermos as condições para isto”.

Nem 10% contam com energia elétrica

O presidente da Câmara Municipal de Manacapuru, Francisco Coelho (Pros) disse: “Estamos procurando apoio politico e junto ao deputado Sinésio Campos e outros para que este programa Luz para todos chegue realmente às comunidades rurais”.

“Manacapuru foi o município que menos recebeu estes serviços. A população nas áreas rurais esperam há uma década a energia elétrica. O programa termina em 2018 e estamos preocupados que a luz não chegue a nossas comunidades, esperamos apoio do Governo do Estado e de todos os políticos para a energia chegue conforme o programado”, salientou Francisco Coelho.

O parlamentar interiorano informou ainda que mais de vinte mil pessoas moram nas áreas rurais de Manacapuru e mais de 12 mil não contam com energia elétrica. “Sabemos que mais da metade da população no Amazonas vive nas áreas rurais e o Programa Luz para todos deveria alcançar o seu objetivo principal e continuar atendendo as demandas em vez de pensar em privatizar”, finalizou.

Mercedes Guzmán

Roberto Brasil