Fim da integração causa prejuízos à população, afirma Luiz Castro

By -
img_4778
“Da forma como foi criada a Estação de Conexão, na Cachoerinha, a população saiu prejudicada e os empresários de ônibus, beneficiados”. A conclusão é do candidato a prefeito de Manaus, Luiz Castro (REDE/PMN), ao avaliar o fim da integração – a troca de ônibus sem pagar outra tarifa – e  agora, o pagamento obrigatório com Cartão Passa-Fácil, que tem duração de apenas duas horas.
A medida, segundo o candidato, ocorreu de forma autoritária e pegou os usuários do sistema de transporte, de surpresa, porque não houve ampla consulta pública, ou informação massificada para orientar a população sobre o fim da integração, onde funcionou o Terminal 2, e as mudanças na circulação das linhas de ônibus dentro da nova  Estação de Conexão.   
O acesso ao Cartão Passa-Fácil, também deveria ser amplamente divulgado, segundo Luiz Castro. “A Prefeitura gasta milhões em propaganda personalista, enquanto que as informações sobre mudanças num serviço essencial como o transporte coletivo, não chegam à população”, critica o candidato.
A falta de informação sobre o pagamento da passagem por meio da  bilhetagem eletrônica, justifica a baixa adesão da população ao uso do cartão. Apenas 48% dos usuários utilizam o cartão para pagar a passagem.
Outro ponto negativo, na avaliação de Luiz Castro, é a validade de apenas duas horas no uso temporal do Cartão Passa-Fácil, para que o passageiro possa tomar outras linhas sem pagar. Numa cidade com o trânsito engarrafado, a circulação dos ônibus é demorada e os passageiros saem perdendo, porque gastam muito tempo no deslocamento, além das duas horas determinadas no cartão, analisa o candidato.

Mario Dantas