FGTS: Caixa libera 3ª fase dos saque das contas inativas na 6ª

By -

Os trabalhadores nascidos entre junho e agosto podem sacar o FGTS a partir da próxima sexta-feira (Ricardo Matsukawa/VEJA.com)

O saque das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) começa na próxima sexta-feira, 12, para os trabalhadores nascidos entre junho e agosto. Os contribuintes que ainda tiverem dúvidas em relação ao resgate do recurso podem participar da live do Facebook da Caixa Econômica Federal,  às 15 horas, desta segunda-feira.

No sábado, dia 13, agências da Caixa ficarão abertas ao público para atendimento exclusivo do FGTS, das 9h às 15h. Lá, os contribuintes conseguirão tirar dúvidas e realizar o saque. Para conferir as agências que terão atendimento ao fim de semana é preciso acessar o site da instituição.

Os contribuintes também poderão tirar dúvidas sobre o saque por meio do site da Caixa e pelo telefone 0800 726 2017.

A Caixa havia liberado, desde o início dos saques até os primeiros dias de abril, o dinheiro das contas inativas para 8 milhões de trabalhadores – o volume desses recursos foi de 12,3 bilhões de reais.

Segundo o banco, são 49,6 milhões de contas inativas que poderão ser sacadas em todas as fases, que acumulam um montante total de 43,6 bilhões de reais.

O prazo final para retirar o dinheiro é 31 de julho. Depois disso, os beneficiários que pediram demissão ou foram demitidos por justa causa até dezembro de 2015 não poderão resgatar o FGTS se não se encaixarem em um dos 17 motivos que possibilitam o saque – como demissão, aposentadoria, compra da casa e doenças graves.

Fases anteriores

Nas duas primeiras fases do FGTS, os contribuintes que arriscaram ir logo nos primeiros dias nas agências da Caixa enfrentaram filas e demora no atendimento.

Ao menos na 1ª e 2ª fases de pagamento, as lotéricas se tornaram os locais mais recomendáveis para os trabalhadores com até 3 mil reais para retirar. Mesmo assim, a maior parte dos contribuintes preferiu ir até às agências.

Apesar de não ser obrigatório para saques abaixo de 3 mil reais, a Caixa recomenda que os trabalhadores levem a Carteira de Trabalho para checagem de possíveis divergências de cadastro.

(DA VEJA)

Roberto Brasil