Festival Folclórico do Amazonas tem 18 grupos campeões

By -

Dezoito grupos foram declarados campeões do 61° Festival Folclórico do Amazonas em suas modalidades: dez na categoria Bronze e oito na categoria Prata. A apuração iniciou às 15h e foi até às 22h desta sexta-feira, 18, no anfiteatro da Ponta Negra, zona Oeste, com a presença dos representantes dos grupos, brincantes e torcedores. 

Os envelopes foram abertos, conforme regulamento, contendo as notas dos cincos jurados responsáveis pela avaliação da apresentação dos  84 grupos folclóricos  que integraram a programação das categorias Prata e Bronze, no período  de 4 a 16 de agosto. Eles disputaram o troféu em 22 modalidades, 11 em cada categoria. Para ser considerado campeão, a exigência era que o grupo tivesse pontuação mínima de 80%, segundo o regulamento.

Foram mais de seis mil brincantes, além da participação das cirandas Flor Matizada e Tradicional, ambas de Manacapuru, show da banda Carrapicho e feira gastronômica com mais de 30 barracas com iguarias contemporâneas e regionais a preços populares. 

“Estamos muito felizes com o resultado do festival: o prefeito Artur Virgílio Neto está determinado a resgatar o folclore em nossa cidade, e, por isso, realizamos o 61° Festival Folclórico do Amazonas com muito cuidado com a nossa história. Realizamos um trabalho de parceria junto com os folcloristas para resgatarmos o valor deste grande festival, que reuniu um público de 50 mil pessoas em 13 dias de evento”, afirmou o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula. 

Campeões   

Ganhador da categoria Bronze na modalidade Boi-Bumbá Regional, o boi ‘Clamor de Um Povo’, que se apresentou na última quarta-feira, 16/8, foi o primeiro a ser anunciado campeão. 

“Para nós foi maravilhoso participar do festival na Ponta Negra, pois tivemos uma visibilidade muito grande, em todos os sentidos. A repercussão foi imensa. Além de participar do festival folclórico na Ponta Negra, que foi um sonho para nós, tivemos a oportunidade de mostrar para toda a cidade o nosso potencial. O resultado foi muito positivo”, afirmou a vice-presidente do boi regional, Alessandra Oliveira. 

O diretor de ensaio da ciranda campeã da categoria Bronze ‘Sedução de São Francisco’, Ângelo Nascimento, não escondeu a emoção  de participar do festival. “Nós nos preparamos para sermos campeões e  novamente viemos honrar o nosso título. Foi um trabalho incansável desde janeiro com a nossa diretoria, brincantes e a nossa comunidade que nos apoiou bastante. Estou muito feliz”. 

Na categoria Prata, a quadrilha Olinda na Roça, disputou com outras 22 quadrilhas na modalidade Tradicional e sagrou-se campeã. Para o presidente da dança, Wenderson Soares, o sentimento é de gratidão. ”Somos gratos a todos que nos ajudaram. Fizemos um trabalho singelo, de seis meses, com muitos amigos envolvidos, com a comunidade nos apoiando”, disse. 

Quem também foi campeã na categoria Prata, na modalidade Ciranda, foi a Imperatriz do Norte. “Foi a finalização de um trabalho árduo. Choramos muitos juntos, mas tudo foi em prol da ciranda, em busca de realizarmos um perfeito trabalho que terminou desta forma, com a nossa ciranda sendo campeã”, disse o cantor da ciranda, Adriano Augusto.

Campeões da Categoria Bronze

Cacetinho: Cacetinho Jurupixunas

Ciranda: Ciranda Sedução de São Francisco

Dança Alternativa: Dança alternativa Furacão Mistura de Ritmos

Dança Internacional: Grupo Daraj – Academia de Dança Tribus.

Dança Nordestina Cangaceiros de Asa Branca.

Dança Nacional: Dança Nacional Candomblé Afro.

Quadrilha Cômica: Quadrilha Cômica As Poderosas.

Duelo: Quadrilha Tradicional Reis do Faroeste.

Quadrilha Tradicional: Quadrilha Tradicional Rosas da Noite.

Boi regional: Clamor  de um Povo

Categoria Prata 

Cacetinho: Cacetinho Manaú

Ciranda: Ciranda Imperatriz do Norte

Dança Internacional:Grupo Amazonense Amazonense  Arte Livre de Dança -GAALD

Dança Nordestina : Nordeste Sangrento.

Dança Nacional: Café do Ajuricaba

Quadrilha Cômica: Quadrilha Cômica João e Maria.

Duelo: Anjos do Faroeste

Quadrilha Tradicional: Quadrilha Olinda na Roça.

Roberto Brasil