Fast empata com o Baré e encerra participação na série D

By -

(Foto: Antonio Lima)

Na última rodada da fase de grupos da série D, 143 testemunhas viram o Fast empatar contra o Baré em 1 a 1. Em um jogo morno, Leonardo abriu o placar e Guigui, contra, empatou para o Baré.

Com o resultado, o Fast se despede como terceiro colocado do grupo A2 com sete pontos e o amargo gosto de vencer uma das três partidas que fez em casa.

O Fast já entrou em campo praticamente eliminado. Em terceiro lugar no grupo A2, o Rolo compressor precisaria de um grande milagre que começava por vencer o Baré. E para isso, o Tricolor de Aço começou pressionando o time de Roraima.

A primeira grande chance foi aos nove minutos quando Wagner Diniz recebeu de Felipe, limpou o zagueiro e saiu cara a cara com o goleiro. O lateral chutou, mas teve a bola defendida pelo arqueiro Leandro. Aos  14, Felipe chutou de fora da área, mas a bola foi no travessão.

Cinco minutos depois, Felipe voltou a aparecer. Desta vez ele passou para Léo entrar na área e chutar na saída do goleiro. Fast 1 a 0.

Ainda no primeiro tempo, porém, o Gurupi marcou 1 a 0 contra o São Raimundo em jogo no Tocantins. O tento encerrava as chances do Fast se sonhar com alguma chance de classificação.

No segundo tempo, o jogo ficou tenso. O Baré passou a pressionar, fazendo o mesmo que o Fast fez no início da partida. Aos nove minutos, quando o Fast finalmente conseguiu sair jogando, Felipe foi derrubado na área por Jeferson. Pênalti. Railson cobrou fraco e ficou fácil para o goleiro Leandro defender. Aos 15 minutos, Léo teve a chance de fazer o gol que não saiu na cobrança de pênalti, mas a bola se perdeu na linha de fundo.

O castigo fastiano veio no minuto seguinte e da forma mais dramática possível. Aos 16 o Baré saiu jogando e Luiz Carlos mandou um cruzamento para a área. Guigui, na pequena área tentou desviar, mas acabou marcando contra. Nailson teve a chance de virar o jogo, mas na conclusão chutou para fora.

Paulo Morgado colocou Vitinho no lugar de Willian Saroa. O baixinho chegou colocando fogo no jogo, mas na sua melhor chance, a bola bateu na canela e o chute saiu fraco. Defesa fácil do goleiro do Baré.

O Gurupi marcava 2 a 0 em Tocantins. Em Manaus o juiz Fábio Santos marcou pênalti a favor do Baré. Rodrigo Marajó, que disputou o Barezao pelo Penarol, cobrou, a bola bateu na trave, no goleiro e saiu.

Guigui ainda teve a chance de se redimir no jogo aos 40. Ele recebeu de Peninha e cabeceou, mas o goleiro espalmou. Em Tocantins, o São Raimundo diminuiu para 2 a 1. Em Manaus, o juiz deu cinco de acréscimo, tempo que não mudou nada na história do jogo.

(Com PORTAL A CRÍTICA)

Roberto Brasil