Famílias atingidas pela cheia no interior começam a receber crédito emergencial

By -

credito-interior-cheia-am1Agricultores familiares de 34 municípios do interior do Estado que tiveram prejuízos com a cheia deste ano começaram a receber crédito emergencial da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) para recuperar a produção. Os repasses começaram no final de agosto e o programa tem vigência até o final do ano. Com a assessoria técnica do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado (Idam), cerca de 2,2 mil produtores já enviaram propostas de financiamento, somando R$ 8,9 milhões de operações de crédito em andamento. A previsão é que até dezembro sete mil produtores sejam beneficiados pelo programa.

Cada agricultor pode financiar até R$ 6 mil com taxas de juros subsidiadas pelo Governo do Amazonas e o dinheiro pode ser usado para compra de mudas, adubos, pagamento de mão-de-obra e para escoamento e armazenamento da produção. De acordo com o diretor-presidente do Idam, Edmar Visolli, o instituto realizou oficinas de nivelamento com os produtores e auxiliou a elaboração dos projetos para investimento do dinheiro do crédito emergencial. “Acompanhamos todo o processo de assistência aos agricultores familiares. Existem muitas famílias passando por dificuldades após a cheia deste ano e o Governo está prestando apoio técnico e financeiro em parceria com a Afeam”, disse.

credito-interior-cheia-am2Na zona rural de Manicoré, na comunidade Pau Queimado, o agricultor Jonas Nascimento da Silva está colhendo a melancia que plantou logo após a cheia, quando perdeu cerca de 20 mil mudas de banana. Ele já recebeu o crédito emergencial e vai usar parte do dinheiro recebido para pagamento dos ajudantes na colheita e transporte e na compra de mudas de bananeira que vai plantar após a colheita da melancia. “Se não tivesse apoio do governo era bem mais difícil”, afirmou o produtor.

No escritório do Idam na sede do município, semanalmente centenas de produtores vão assinar propostas de financiamento e acompanhar seus processos para aquisição do crédito. A produtora Celciane Leite Brasil, moradora da comunidade São João da Ponta Grossa já teve a proposta aprovada e assinou o contrato para receber o crédito emergencial. Como outros produtores, ela perdeu tudo na cheia do rio Madeira. “Sobrou uns 50 pés de banana e o resto foi tudo pro fundo. A cheia levou a casa, canoa, objetos pessoais e a plantação. Vou refazer minha casa e comprar mais banana pra plantar”, afirmou.

Roberto Brasil