Família recebe retorno de consulta 11 anos após a morte da paciente

By -
Zila Bueno da Silva

Zila Bueno da Silva

Parece surreal essa história, mas aconteceu com uma família de Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre, que se surpreendeu ao receber a resposta sobre uma consulta médica para uma mulher que morreu há 11 anos. A carta endereçada a Zila Bueno da Silva foi enviada pela Secretaria Municipal de Saúde em 16 de dezembro.

“Ela morreu em 2004 e 11 anos depois eles deram esse encaminhamento”, diz a microempreendedora Erni Hengen Almeida, filha da paciente. “A consulta para a qual ela recebeu o pedido de encaminhamento ocorreu no final de 2000 ou 2001, se não me engano”.

A filha diz que se sente revoltada não apenas pelo que considera um descaso por parte da prefeitura, mas também pelo fato da carta ter sido enviada na mesma época do ano do falecimento de sua mãe. “Ela morreu em outubro, e aí vem tudo de novo”.

Erni diz que essa não foi a primeira vez em que o retorno veio tarde. “O encaminhamento era para um reumatologista e minha mãe morreu de pancreatite. Só que tenho um tio que teve um câncer no intestino e que recebeu a mesma correspondência um ano depois de ter morrido. Como ele não conseguiu a consulta, nós tivemos que pagar particular, ele ficou internado e acabou morrendo”, lamenta.

Mario Dantas