“Faltou para não ter que responder a algumas perguntas”, diz Eduardo sobre Amazonino

By -

O candidato Amazonino Mendes faltou ao último debate promovido da eleição suplementar ao Governo do Amazonas, na noite desta sexta-feira (25/08). Este é o terceiro evento, ao qual o candidato foi convidado a confrontar suas ideias com o seu adversário Eduardo Braga, que ele não comparece. Os outros dois foram o da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB/AM) e o do Conselho Regional de Economia (Corecon).

Na avaliação de Eduardo Braga, isso demonstra claramente que seu adversário não tem propostas para solucionar os problemas que afetam o Amazonas. “É um total desrespeito ao eleitor. Faltou para não ter que responder a algumas perguntas que precisam ser esclarecidas até para tirar as dúvidas do povo. Ele teria que responder: por que os apoiadores dele são os mesmos apoiadores do José Melo? Por que ele não se posiciona, por exemplo, em relação aos contratos da Umanizzare? Por que o Amazonino tem o apoio do prefeito de Manaus e não fala dos problemas e de como resolver os problemas da cidade?”, questionou o candidato da coligação União pelo Amazonas.

Com a ausência de Amazonino, o debate foi transformado em entrevista de vinte minutos dos quais Eduardo falou de como pretende resolver questões críticas que assolam o Estado como na área de saúde pública.

“Queremos abrir imediatamente para funcionamento o hospital da zona Norte. Nós não estamos usando os leitos e centro cirúrgicos e isto está sendo pago. Queremos em 120 dias zerar as filas de consultas, exames e cirurgias, bem como abastecer as unidades de medicamentos. Tem recurso. Nós colocamos no orçamento geral da União R$ 3,5 bilhões. Além disso, vamos romper os super contratos”, afirmou Eduardo.  

Sobre os problemas na área de segurança, Eduardo disse que não há como combater a criminalidade se não houver planejamento. “O cenário de 10 anos atrás era outro. Nós tínhamos paz. Agora, o que temos é tiroteio nas ruas e a nossa polícia está desarmada. Portanto, estamos vivendo um verdadeiro caos”, disse o candidato que quer reaparelhar as polícias e devolve-las as ruas . 

Em se tratando das questões econômicas do Estado, Eduardo explicou como pretende reduzir o ICMS da cesta básica, diesel e do gás de cozinha. “Fizemos isso quando eu fui governador. É possível basta que haja vontade política. Vamos baixar o custo de vida, aumentar o consumo e promover geração de emprego e renda”, declarou.  

Questionado pelo apresentador Roberto Burnier sobre a citação de seu nome na Lava-Jato, Eduardo afirmou que quem não deve não teme. 

Nas considerações finais, Eduardo fez um apelo aos indecisos e aos que votaram branco e nulo no primeiro turno. “Eu quero falar com você que pretende votar nulo ou em abstenção porque está decepcionado com a política. Dessa forma, você não nos dará chance de mudar a política da segurança pública e a política fiscal. Vote no 15 porque a mudança tem jeito com Eduardo e Marcelo”, finalizou o candidato.

*Com informações da assessoria

Roberto Brasil