EXCLUSIVO: Ibama suspende temporariamente fiscalização de garimpos ilegais no sul do AM

By -

Foi dado um prazo de vinte dias para os garimpeiros se regularizarem (Foto: Divulgação)

Os deputados Cabo Maciel (líder do PR) e Abdala Fraxe (Podemos) em reunião realizada na manhã desta segunda-feira (30), na sede do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), no Amazonas, com o superintendente José Leland Barroso, que mostrava-se irredutível por considerar um ato planejado pelos garimpeiros, voltou atrás e decidiu suspender a Operação de Ouro Fino, no Rio Madeira, até que os Extrativistas se regularizem junto aos órgãos ambientais.

Participaram da reunião além dos deputados Cabo Maciel e Abdala Fraxe o prefeito Herivaneo Seixas e os vereadores Valdeir Malta, Joel Guerra, Totinha e Manoel Domingos, que relataram o ocorrido ao superintendente José Leland Barroso, que após a apreensão das 37 balsas ficou acertado em reunião na Prefeitura que dariam um prazo de 20 dias para que todos os pudessem se regularizar.

O prazo de 20 dias não foi respeitado pelos homens do IBAMA – disseram os edis -, e, para surpresa dos garimpeiros tiveram conhecimento que as 37 balsas apreendidas e seus equipamentos haviam sido queimados, sob alegação de que não tinha como remover as balsas até o porto da Marinha. Essa justificativa não foi aceita pela pelos garimpeiros uma vez que as balsas estavam numa localidade acima de Humaitá e poderiam ser transportadas até mesmo por uma rabeta, e correnteza do rio a seu favor.

A ação do IBAMA em tocar fogo nas balsas gerou de imediato uma revolta dos garimpeiros que já se encontravam reunidos na sede do município tratando do pedido de renovação de licença e outros da regularização das balsas. Ao serem informado da ação dos homens do IBAMA, se reuniram e partiram para a casa do prefeito Herivaneo Seixas que foi coagido levado até a sede do IBAMA em Humaitá, onde incidiram tudo, além da sede do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Idam que foram totalmente destruídos.

Roberto Brasil