Eventual governo Temer apoiará Lava-Jato

By -
Sen. Romero Jucá

Sen. Romero Jucá

O vice-presidente Michel Temer apoiará plenamente as investigações da operação Lava-Jato caso assuma o governo. A informação foi dada pelo presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR). “A operação Lava-Jato hoje é prioridade para o Brasil e o Ministério da Justiça terá um papel preponderante num eventual governo Temer, no sentido de fortalecer a Polícia Federal e as investigações”, afirmou.Jucá disse, no entanto, que não há ainda discussão de nomes num eventual governo Temer. “É prematuro qualquer confirmação (de nomes). Não foi feito nenhum convite e tudo será feito a seu tempo e a sua hora”, afirmou.

O senador informou ainda que, se houver um governo Temer, será necessária uma base congressual forte e unida porque é pela resolução da questão política que se enfrentará os desafios econômicos. “Portanto, é fundamental que essa base seja construída não só pelo PMDB , mas por todos os países que entendem que o País tenha novo rumo”, disse.

Sobre o novo cronograma do processo de tramitação do impeachment, apontando como o dia 12 de maio a votação final – a não mais o dia 10 de maio – Jucá disse que o Senado vai ajustando as datas de acordo com as pressões da sociedade. “Nós teremos na próxima semana a Comissão instalada, que ditará o prazo. O presidente e relator da Comissão utilizarão os dias necessários para, no âmbito do regimento, ter condição de votação que enseje a oportunidade de rapidamente definir essa questão”, disse.

Jucá ressaltou que a Comissão do Impeachment não precisa necessariamente gastar os 10 dias previstos no Regimento Interno para se manifestar. “Como é para se analisar um processo de admissibilidade, não há nenhum tipo de defesa nova, é possível e natural que o prazo a ser gasto seja menor”, disse.

Perguntado se a presidente Dilma estaria tendo um excesso de zelo ao cancelar viagens internacionais para não deixar a presidência com Temer, o presidente do PMDB retrucou. “Se a presidente estivesse tendo um excesso de zelo, não estaria reunindo correspondentes internacionais  e repassando um quadro falso do País. Ela já estragou o País pra dentro e agora está vendendo mal o País pra fora, falando de um golpe que não existe”, disse.

Mario Dantas