Estudantes do IFAM garantem 1º lugar em Olimpíada de Robótica

By -

 

Isaias Bessa, Ítalo Tony, Prof. Diego Câmara e Rubens Andrade

Isaias Bessa, Ítalo Tony, Prof. Diego Câmara e Rubens Andrade

Após vencer os “donos da casa”, na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) – etapa regional, realizada na Fundação Nokia de Ensino, os estudantes do Instituto Federal do Amazonas (IFAM), cursos mecatrônica e eletrônica, do Campus Manaus Distrito Industrial, já se preparam para enfrentar outros competidores a nível nacional. A próxima competição será de 19 a 22 de outubro, em São Paulo.

Com o robô batizado de R2D2, Isaias Bessa, Rubens de Andrade, Italo Tony e Pedro Navarro, 17 anos, respectivamente, conquistaram o 1º lugar de uma das maiores competições de robóticas e, já sonham em repetir a façanha em terras paulistas.

ifam-robotica-olimpiada1Segundo Isaías Bessa, o processo de construção (montagem) do robô e a parte de automatização demorou dois meses para ser finalizado. “As peças do robô são provenientes de um kit Lego para robótica educacional. O que exigiu mais esforço e muitas horas de dedicação foi automatizá-lo, mas estamos super felizes em ter conseguido estrear na competição em 1º lugar”, disse ele.

A competição regional reuniu oito equipes de diversas instituições de ensino. No ranking regional, o IFAM também conquistou o 3º lugar, com alunos do primeiro ano do curso de eletrotécnica, além de garantir 1º lugar na categoria melhor equipe estreante e melhor escola pública. Em 2º lugar ficou a Fundação Nokia de Ensino.

ifam-robotica-olimpiada3Já Rubens de Andrade destacou a pressão e o nervosismo sentido ao disputar a competição. “O nervosismo sempre existe, principalmente quando temos adversários de alto nível, mas conseguimos driblar esse fator e mostrar nosso trabalho. É muito bom ser reconhecido pelo nosso esforço”, destacou.

Para o próximo ano, Ítalo Tony revela um sonho antigo. “Tenho muita vontade em cursar aviação em São Paulo. Como sou aluno finalista, tenho focado nos estudos e vou me preparar bastante para poder prestar a prova e ser aprovado”, revelou.

Segundo o professor orientador, Diego Câmara, o comprometimento dos alunos foi o fator diferencial para a vitória.

“A rotina deles é um pouco puxada, pois eles estudam, fazem estágio e ainda encontram tempo para programar. Mas a dedicação de cada um fez com que o objetivo da vitória fosse alcançado. Agora é focar na competição em São Paulo e trazer medalha”, disse Câmara que pretende expandir o projeto de robótica para campi do interior.

Roberto Brasil