Estado vai promover o desenvolvimento da atividade turística em terras indígenas

By -

Promover o desenvolvimento das atividades turísticas em terras e comunidades indígenas do Estado foi uma das propostas apresentadas pela Fundação Estadual do Índio (FEI) à Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur). O encontro entre os gestores dos dois órgãos ocorreu na tarde da última segunda-feira (30/10), na sede da Amazonastur, centro, e segue as determinações do governador Amazonino Mendes de transformar a atividade em uma nova matriz econômica do Estado.

De acordo com o diretor-presidente da FEI, Amilton Gadelha, o encontro foi uma oportunidade para abrir uma janela de diálogo em torno do turismo em terras indígenas, que é visto como um grande desafio. “Queremos buscar uma parceria e criar uma sinergia com o governo para promover as atividades turísticas na área indígena”, declarou.

Para o presidente da Amazonastur, Orsine Junior, esse primeiro encontro é o início do desenvolvimento de ações que potencializem esse campo de turismo de forma ordenada e sustentável. “Vamos incentivar a regulamentação e organização das atividades desenvolvidas pelas comunidades indígenas e fortalecer o espírito de cooperação de ambos os lados para trazer ganhos aos indígenas e ao turismo no Estado”, afirmou o secretário.

Pautas – Outras pautas apresentadas pela Fundação Estadual do Índio foram referentes à formação de guias de turismo indígenas, espaço nos municípios para exposição do artesanato produzido pelas comunidades indígenas – principalmente em Parintins, cidade de grande movimentação turística em virtude do Festival Folclórico –, entre outras.

Em relação à formação dos guias, a Amazonastur vai buscar uma parceria entre FEI e Sindicato Estadual de Guias de Turismo do Amazonas (Sindegtur-AM) no sentido de alinhar as ideias quanto à formação. Sobre os espaços, Orsine Junior informou que vai estudar possíveis locais que possam ser disponibilizados aos indígenas para exposição dos seus trabalhos.

“Estamos buscando a ordenação do turismo indígena. Vamos trabalhar essas questões de regularização. Esse é o nosso compromisso”, ressaltou o historiador e membro da FEI, Jeter Sateré.

Roberto Brasil