Estado anuncia abrigo e ajuda financeira para venezuelanos

By -

“Dentro de um cronograma célere, eu gostaria de, no máximo, tirá-los dos perigos das ruas em dois dias”, disse Almeida

O governador do Amazonas, David Almeida, anunciou, no início da tarde desta terça-feira, 16 de maio, que os migrantes venezuelanos acampados nas proximidades do Viaduto de Flores, ao lado da Rodoviária de Manaus, serão abrigados, provisoriamente, no prédio do antigo programa Jovem Cidadão, no bairro Coroado, zona leste. Além disso, a Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas) vai repassar à Prefeitura, a quantia de R$ 300 mil, por meio do Fundo Estadual de Assistência Social, para custeio das despesas das famílias no local até uma solução definitiva.

“Nesse prédio, nós temos ao menos sete salas, com banheiros, ginásio coberto, quadra coberta. Essas pessoas, então, serão transferidas para lá em uma parceria com a Prefeitura de Manaus. Nós temos recursos que estão sendo analisados pelo Conselho Municipal de Assistência Social. Assim que for aprovado pelo Conselho, o Governo irá repassar uma parte desse dinheiro para a administração municipal, e as tratativas finais serão feitas com as lideranças venezuelanas”, afirmou o governador.

As medidas fazem parte do Plano Emergencial de Ajuda Humanitária aos venezuelanos que estão em Manaus fugindo da crise política e econômica da Venezuela, em especial indígenas da tribo Warao. O plano tem à frente os seguintes órgãos: Secretaria Estadual de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas), Fundação Estadual do Índio (FEI), Fundo de Promoção Social (FPS), do Governo do Amazonas, Secretaria Municipal da Mulher Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

“Nesse momento, de forma emergencial, nós precisamos tirá-los dessa situação o mais rápido possível porque é uma ação humanitária. O povo brasileiro é um povo solidário e o Estado estende a sua mão, juntamente com a Prefeitura, para auxiliá-los nesse momento tão difícil por que passam nossos irmãos venezuelanos. Nós pedimos à população, às igrejas e entidades de classe que continuem ajudando”, declarou o governador.

Mudança para o abrigo – David Almeida informou que a previsão é de que os venezuelanos sejam levados para o abrigo até a próxima quinta-feira, 18 de maio. “Amanhã nós já vamos entrar no prédio. Nós precisamos fazer algumas modificações e ajustes o mais rápido possível. Dentro de um cronograma célere, eu gostaria de, no máximo, tirá-los dos perigos das ruas em dois dias”, disse.

Atendimento – Segundo dados da Secretaria Estadual de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), neste momento há 382 migrantes venezuelanos em Manaus. O número foi contabilizado nesta terça-feira, 16 de maio, pela equipe do órgão que está de plantão no Posto Humanizado de Atendimento, que funciona na Rodoviária de Manaus. A maior concentração desses estrangeiros é nas proximidades do Viaduto de Flores, em quitinetes alugadas no Centro e agora também na zona leste.

“Nós estamos fazendo, desde o dia 5 de dezembro do ano passado, o atendimento e o controle de chegada e saída dessas pessoas. Além disso, são atendidas demandas, principalmente na questão da saúde, junto à Delegacia de Migração da Polícia Federal, documentação e localização de parentes”, informou a secretária da Sejusc, Graça Prola.

Roberto Brasil