Empresa pode sofrer uma ação judicial por abuso contra os usuários da concessionária Manaus Ambiental

By -
Ver. Álvaro Campelo

Ver. Álvaro Campelo

A empresa Alfa Vox, que presta serviços terceirizados para a Manaus Ambiental, pode sofre ações cabíveis, até mesmo na Justiça, caso deixe de apresentar, nesta quinta-feira (23), explicações sobre a forma abusiva como tem abordado os usuários inadimplentes com a concessionária dos serviços de água e esgoto na capital amazonense.

De acordo com o vereador Álvaro Campelo (PP), caso a empresa fracasse em entregar o documento com o posicionamento oficial até amanhã, a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Manaus (Comdec-CMM) adotará medidas mais rígidas contra a Alfa Vox. “Espero que essas cobranças indevidas cessem. Caso voltem a se repetir, iremos entrar com medidas judiciais cabíveis no sentido de evitar esse constrangimento a que é submetido à população da cidade”, declarou o parlamentar.

Conforme Álvaro Campelo, a Alfa Vox possui o direito de fazer a cobrança dos clientes que estão com o pagamento da fatura em atraso. Porém, o vereador destacou que a empresa não possui o direito de constranger o consumidor com ligações insistentes, às vezes, efetuadas em horas avançadas da noite, como forma de pressão para cobrar uma fatura “em aberto”. “É um verdadeiro absurdo. A cobrança é feita, às vezes, dez horas da noite ou com apenas três dias de atraso do pagamento. Não defendo o calote. Quem deve, precisa pagar. Mas, a empresa não tem o direito de constranger o consumidor”, enfatizou o presidente da Comdec-CMM.

Mario Dantas