Empresa afirma que ‘falhou’ no Oscar e aponta responsáveis

By -

Martha Ruiz e Brian Cullinan, apontado como responsável pela troca de envelopes (Valerie Macon/AFP)

A empresa que supervisiona a votação do Oscar voltou a se pronunciar sobre a gafe histórica que levou o filme La La Land – Cantando Estações a ser anunciado por engano como melhor filme em vez de Moonlight: Sob a Luz do Luar, o grande premiado da noite. Além de assumir a responsabilidade pela “série de erros”, a PricewaterhouseCoopers (PwC) afirmou em nota divulgada na noite de segunda-feira que “falhou com a Academia” e que Brian Cullinan, membro da empresa, entregou equivocadamente o envelope da categoria de melhor atriz, provocando caos e constrangimento nos bastidores.

A empresa já havia divulgado um comunicado logo após a premiação, responsabilizando-se pelo ocorrido e pedindo “sinceras desculpas” pelo erro. Na nova nota, a PwC, uma das companhias de auditoria mais respeitadas do globo, afirma que Cullinan e sua colega Martha Ruiz eram os responsáveis pela correta entrega dos envelopes aos apresentadores da cerimônia, Warren Beatty e Faye Dunaway.

O protocolo seguido pela empresa durante o Oscar pretende tornar o sistema à prova de erros: há envelopes duplicados com o resultado dos vencedores, que ficam com dois funcionários, posicionados um em cada lado do palco, nas coxias. Eles são entregues aos apresentadores e também servem para conferir os resultados depois do anúncio, no caso de algo dar errado. Segundo o comunicado, foi nesse momento que os funcionários não seguiram os protocolos devidos e falharam. Cullinan entregou a Beatty o envelope errado, em que constava o prêmio da categoria de melhor atriz, dado momentos antes a Emma Stone, de La La Land. Ao perceber o erro, Martha não agiu rapidamente para corrigi-lo. Assim, ao anunciar o vencedor de melhor filme, ao lado de Faye, Beatty acabou lendo o nome do filme errado.

A empresa também pediu desculpas à equipe de La La Land, Moonlight, Beatty, Faye Dunaway, ao apresentador Jimmy Kimmel, à ABC e à Academia e afirma que, nos últimos 83 anos, o Oscar confiou à PwC a integridade da premiação durante a cerimônia e, na última noite, a empresa havia “falhado com a Academia”.

Da AGÊNCIA EFE

Roberto Brasil